SINJOTECS PEDE AUDITORIA ÀS CONTAS DA DIREÇÃO ANTERIOR

SINJOTECS PEDE AUDITORIA ÀS CONTAS DA DIREÇÃO ANTERIOR

A direção do Sindicato dos Jornalistas e Técnicos da Comunicação Social da Guiné-Bissau, (SINJOTECS,) solicitou quarta-feira (12.09), ao Tribunal de Contas para fazer auditoria às contas da direção cessante do sindicato liderado pelo jornalista Mamadu Candé.

A intenção do SINJOTECS foi transmitida a imprensa pelo secretário-geral, Diamantino Lopes, após uma audiência que a direção do sindicato manteve com o juiz Conselheiro da Instituição que controla a gestão de contas do Estado guineense.

Aos jornalistas, Lopes, assegurou que a nova direção herdou o sindicato com muitas dúvidas sobre a gestão dos fundos, por isso, está determinado em marcar diferença, sobretudo no que tange as questões da transparência.

“Nós herdamos o sindicato (SINJOTECS) e queremos marcar a diferença, sobretudo no que tange as questões de transparência, por isso, viemos cá solicitar ao Tribunal de Contas o apoio neste sentido, como podemos ter melhor gestão das nossas contas. Solicitamos também a instituição para que de certo modo faça uma auditoria a direção cessante do sindicato”, explicou Lopes.

O encontro que teve lugar no palácio da justiça em Bissau visa simplesmente solicitar uma cooperação com a instituição liderada por Dionísio Kabi, uma vez que o Tribunal de Contas é uma estrutura estatal que trata da gestão de contas públicas e também das entidades particulares, como o SINJOTECS.

Na sua breve declaração, Lopes, revelou que o Tribunal de Contas está disponível a trabalhar com a direção do sindicato na gestão das contas da classe jornalística guineense.

“Solicitamos o acompanhamento e houve uma abertura  por parte do tribunal na formação não só dos membros do sindicato sobre as matérias da gestão das suas contas, como também a outras estruturas conexas ao sindicato, nomeadamente os sindicatos de base, que têm suas contas porque cobram cotas aos seus associados, por isso, esse dinheiro tem que ser bem gerido”, sublinhou Lopes.

Questionado pela Rádio Jovem sobre o comportamento de alguns jornalistas que desempenham a função de assessor de imprensa e de jornalistas, o secretário-geral assegurou que a nova direção está a trabalhar para pôr fim a esta prática.

Lopes fez lembrar aos jornalistas em causa que é uma situação já vedada pela lei do país, nomeadamente os estatutos dos jornalistas guineenses.

De sublinhar que a nova direção do SINJOTECS, liderada por Indira Correia Baldé, foi eleita no II Congresso ordinário da organização que decorreu entre os dias 26 e 27 do mês de Março de 2018 em Bissau.

O repórter do canal português na Guiné-Bissau, RTP-AFRICA, obteve 57 votos dos delegados contra 40 do seu adversário Assimo Baldé, igualmente o seu colega de serviço no órgão.

O congresso ordinário que decorreu sob o lema “Por um jornalismo profissional e independente”, contou com apoio das Nações Unidas, no âmbito de apoio ao sector dos média. Tomaram parte no congresso 100 delegados de todos os órgãos de Comunicação Social da Guiné-Bissau.

Por: Alison Cabral

 

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Share on Google+
Google+
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu