REGIÃO DE BAFATA ESTÁ DISPONÍVEL PARA ABANDONAR A PRÁTICA DE DEFECAÇÃO AO AR LIVRE

REGIÃO DE BAFATA ESTÁ DISPONÍVEL PARA ABANDONAR A PRÁTICA DE DEFECAÇÃO AO AR LIVRE

25 Comunidades da região de Bafata, leste da Guiné-Bissau mostraram disponível para abandonar a prática de defecação ao ar livre, disse a Rádio Jovem esta segunda-feira (23 de Outubro de 2017),o responsável administrativo da Associação de Saneamento Básico da Proteção da Água e Ambiente (ASPAAB) sedeada na mesa região.

A disponibilidade das comunidades de Bafata, acontece numa altura em que cerca de 20% da população guineense continua a defecar ao ar livre, apesar de avanços consideráveis obtidos no combate a esta prática nos últimos tempos tanto pelo executivo e bem como os parceiros que intervém nesta luta.

Ouvido pelo nosso corresponde local, Malam Dafé, revelou que a sua organização beneficiou de um apoio da PLAN Guiné-Bissau para desenvolver  iniciativas ligados ao saneamento, incluindo a prática de defecação ao ar livre.

“Já temos projetos com os parceiros, nomeadamente a PLAN Guiné-Bissau para desenvolver uma abordagem, denominada “Saneamento Total” liderada pela comunidade no sentido de trabalhar aspectos de saneamento. No trabalho com as comunidades da região de Bafata, concluímos que 25 comunidades locais estão dispostas a abandonar esta prática”, declarou Malam Dafé.

De recordar que no princípio deste mês, segundo um relatório apresentado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa (INEP), o Executivo pretende elaborar uma estratégia junto com os seus parceiros internacionais para acabar com a prática da defecação ao ar livre no país.

Desde o início desta abordagem em 2010, mais de 36.000 famílias representando 1.170 localidades, já abandonaram esta prática, sobretudo devido a construção de mais de 22.000 latrinas, segundo dados disponíveis.

Segundo o estudo realizado, as regiões de Bolama/Bijagós e Cacheu, são considerados zonas com a maior prática da defecação ao ar livre, devido ao aspecto cultural e sócio antropológico das etnias.

De salientar que o relatório apresentado em 2015 sobre a situação das latrinas no mundo denominado “Water Aid” estima-se que a defecação ao ar livre continua ser praticada por mais de mil milhões de pessoas em todo mundo, onde a Guiné-Bissau ocupou o lugar numero 32 em termos de acesso ao saneamento e a nível da África Subsaariana, ocupou o lugar número 20.

/ / Djibril Culubali e Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu