PARLAMENTO NACIONAL INFANTIL PREOCUPADO COM GREVES NAS ESCOLAS PÚBLICAS

PARLAMENTO NACIONAL INFANTIL PREOCUPADO COM GREVES NAS ESCOLAS PÚBLICAS


O presidente do Parlamento Infantil da Guiné-Bissau, Sebastião Tamba Júnior manifestou-se neste sábado, 15 de junho de 2019, preocupado com sucessivas greves nas escolas públicas, que podem comprometer o presente ano letivo no país.
“É com profunda dor que acompanhamos o atual problema no sector do ensino, não obstante, a nossa inquietação não só limita nos discursos, houve alguns momentos que assumimos o protagonismo que ainda não vimos o seu resultado satisfatório a nós, declarou Tamba Júnior.

Discursando na abertura da sessão ordinária do parlamento infantil, Tamba Júnior fez lembrar às autoridades do país, que para além do direito da educação estar previsto nos textos da declaração universal do direito do homem e na carta manga, a educação é que faz o homem servir melhor a sociedade e esse direito é inegociável.
Júnior revela que o Estado, sendo entidade que tem por obrigação de dar a sua população a educação, mas está a relegar isso para o segundo plano, as crianças a nenhum momento vão dar a tolerância na violação dos mais consagrados direitos humanos.

“Se lhes falta a noção do quão é pesaroso a falta da educação na vida da criança, a nós isso não nos falta e temos noção de que, são o que porque tiveram oportunidade de usufruir de direito a educação” vincou Júnior.

Neste sentido, o líder do parlamento infantil saudou as organizações estudantis que incessantemente reivindicam os seus direitos e outrora são oprimidas pelas forças policiais caso que o parlamento infantil condena e nunca contentará com qualquer que seja o ato de opressão que os estudantes foram e são alvos.

Júnior afirma que a luta da organização que dirige é para que haja o cumprimento do direito a educação, jamais exortaremos o Estado, mas sim exigi-lo o cumprimento da sua obrigação.

Relativamente a situação política do país, Júnior exorta as partes em desavença se entendam e criem consensos propensos as populações em geral. O respeito as regras democráticas não só é salutar aos políticos, mas para o parlamento infantil que estão no processo de aprendizagem.

Tamba Júnior fez lembrar ao Chefe de Estado, José Mário Vaz que o povo guineense através do sufrágio universal, livre, justo e transparente, essa escolha, independentemente de escolher os seus representantes no parlamento é também para que haja a estabilidade, unidade e progresso na Guiné-Bissau.

A segunda sessão que tem sob o lema: Ação humanitária em Guiné-Bissau: os direitos da crianças em primeiro lugar “Crianças fatores de unidade nacional”, termina no domingo

Por: AC

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu