PAIGC pede demissão imediata de PGR e comandante-geral da polícia da Guiné-Bissau

PAIGC pede demissão imediata de PGR e comandante-geral da polícia da Guiné-Bissau

O Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) pediu hoje a demissão do Procurador-Geral da República e do comandante da polícia da Guiné-Bissau, após a suspensão do recenseamento eleitoral pelo Ministério Público.

“Para o PAIGC, o momento atual é de extrema gravidade e exige responsabilização política e criminal, razão pela qual o Procurador-Geral da República e o comissário-geral da Polícia de Ordem Pública devem ser imediatamente demitidos”, refere, em comunicado divulgado à imprensa, o PAIGC.

No comunicado, o PAIGC exorta também a comunidade nacional e internacional a “continuarem a seguir de forma atenta o desenrolar destes casos urdidos sob a batuta do senhor Presidente da República e dos seus aliados políticos”.

“Tendo em conta que mais de 90% de potenciais eleitores já foram recenseados, o PAIGC defende que deve ser declarado findo o recenseamento eleitoral para que o senhor Presidente da República, assumindo as suas responsabilidades, marque eleições”, pode ler-se no comunicado.

O PAIGC sublinha também que “nada, nem ninguém, por mais manobras e agressões que levarem a cabo” poderá “travar o processo conducente à realização de eleições legislativas, porque o povo guineense na sua esmagadora maioria está consciente e determinado a lutar pela manutenção do Estado de Direito democrático”.

Lusa

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu