NUNO NABIAN ACEITA NEGOCIAR APOIO A DOMINGOS SIMÕES PEREIRA

NUNO NABIAN ACEITA NEGOCIAR APOIO A DOMINGOS SIMÕES PEREIRA

O líder da Assembleia do Povo Unido – Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), Nuno Nabian, aceitou hoje negociar o seu apoio ao candidato às presidenciais Domingos Simões Pereira, mas vai manter contactos com a candidatura de Umaro Sissoco Embaló.

Desde que a proposta, os meios e a abordagem a implementar sejam sérias e credíveis, aceitamos negociar soluções sustentáveis para o país e as condições dessas negociações não implicarem o cancelamento de eventuais contactos que iniciaremos com a outra parte, também interessada no nosso apoio”, refere numa carta Nuno Nabian.

Nuno Nabian também foi candidato às eleições presidenciais, apoiado pela APU-PDGB e pelo Partido de Renovação Social (PRS), terceira força no parlamento, mas falhou a segunda volta, tendo obtido apenas 13,6% dos votos dos guineenses.

Na segunda-feira, Domingos Simões Pereira, candidato apoiado pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) pediu apoio à APU-PDGB para a segunda volta das presidenciais, marcadas para 29 de dezembro.

A APU-PDGB assinou em março um acordo de incidência parlamentar com o PAIGC para viabilizar a formação do atual Governo.

Nuno Nabian denunciou aquele entendimento, mas três dos cinco deputados eleitos pelo seu partido mantiveram o acordo e viabilizaram a aprovação do programa do Governo no parlamento.

“Tentamos essa aliança, em março último, entre a APU-PDGB e o PAIGC, e na verdade não deu certo. Pode parecer paradoxal, depois de todos os esforços para a neutralização da APU-PDGB e do seu candidato, temos sobrevivido e continuado interessados na busca dessa tão almejada estabilidade nacional”, afirma Nuno Nabian.

E acrescentou: “Em momentos frustrantes como estes, a nossa terra precisa de líderes políticos capazes de estabelecer pontes e evitar pretensões de tudo ganhar”.

Os candidatos Domingos Simões Pereira e Umaro Sissoco Embaló vão disputar a segunda volta das eleições presidenciais da Guiné-Bissau, marcada para 29 de dezembro.

Domingos Simões Pereira, apoiado pelo PAIGC, foi o candidato que obteve maior percentagem de votos, 40,13%, não conseguindo mais de metade para vencer à primeira volta.

Fonte: Lusa

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

This Post Has One Comment

  1. Antonio Teixeira

    A minha terra nao esta preparado para o regime semi presidencialita vamos acabar as legislativa è a unica soluçâo porque de 1994 ate hoje nao podemos mencionar quantos governos passaram por ai è uma vergonha.

Deixe uma resposta