MOVIMENTO DE SALVAÇÃO DO PRS ACUSA ATUAL DIREÇÃO DO PARTIDO DE CORRUPÇÃO E NEPOTISMO

MOVIMENTO DE SALVAÇÃO DO PRS ACUSA ATUAL DIREÇÃO DO PARTIDO DE CORRUPÇÃO E NEPOTISMO

O Movimento de Salvação do Partido da Renovação Social (PRS) e da Memoria de Kumba Iala (MS-PRS), acusou esta sexta-feira, 29 de Março de 2019, acusou a direção superior do PRS de corrupção, clientelismo e nepotismo na selecção dos candidatos a deputados e aos cargos públicos durante sucessivos governos onde o partido participou.

MS-PRS revela ainda que a prepotência, a intriga e a intimidação ganharam proporções nunca antes visto no PRS e muitos dos dirigentes perderam a coragem de criticar a direção para não perderam os seus lugares.

Em conferência de imprensa num dos hotéis da capital Bissau, o coordenador do movimento, Ibraima Sori Djaló, exige a imediata demissão em bloco do atual direção do PRS, liderado por Alberto Nambeia.

Visivelmente desapontado, Sori Djaló, que foi presidente do parlamento da Guiné-Bissau, acusou Malam Sambú, também dirigente do partido, de ser um dos responsáveis pela crise interna do partido, devido a sua pretensão de ser o primeiro-ministro guineense.

Apesar destas pressões dos dirigentes há mais de uma semana, a atual direção do partido remeteu-se em silêncio total, mas com ações em busca soluções internas.

Perante este cenário, Djaló afirma que se a direção se mantiver flexível a não demitir, o Movimento de Salvação do PRS, vai avançar com uma queixa-crime no Ministério Público para denunciar as corrupções praticados pelo partido nos últimos três anos.

Contudo manifestou-sedisponível para dialogar de forma franca e aberta com a direção do PRS.

O encontro com os jornalistas serviu para o movimento lançar um vibrante apelo a todos os seus militantes e simpatizantes no sentido de se unir a volta de uma grande questão que é a unidade para salvação do partido fundado pelo antigo Chefe de Estado guineense, Kumba Iaia.

Além de Ibraima Sori Djaló, fazem parte do movimento nomes como Fernando Correia Landim, que foi ministro das Pescas no governo de Baciro Djá e Aladje Sonco, membro da comissão política do partido.

De recordar que numa carta dirigida ao líder do partido na semana passada, o movimento exigiu a responsabilização da direção do partido pelo “desastroso resultado” nas eleições legislativas de 10 de março.

Na carta a que a Rádio Jovem teve acesso, o movimento afirma ter chegado a hora de permitir que os militantes renovem democraticamente a sua confiança em novas pessoas.

Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu