MINISTRO DA EDUCAÇÃO NACIONAL PEDE DESCULPAS AOS ESTUDANTES DAS ESCOLAS PUBLICAS

MINISTRO DA EDUCAÇÃO NACIONAL PEDE DESCULPAS AOS ESTUDANTES DAS ESCOLAS PUBLICAS

O ministro da Educação Nacional, Camilo Simões Pereira, pediu desculpas aos estudantes das escolas públicas sobre os seus espancamentos perpetradas pelas forças polícias e aos Estudantes que – se encontram barricadas a duas semanas frente do Ministério da Educação exigindo do governo abertura das aulas nas escolas públicas.

Dirigindo as palavras esta quinta-feira 06 de Dezembro 2018 aos estudantes que se encontram barricadas frente do Ministério da Educação, a saída da reunião negocial entre o governo, os sindicatos dos professores, entidades religiosa, direção da Escola São José e a Rede Nacional das Associações Juvenis (RENAJ) promotor da iniciativa.

Camilo Simões Pereira, tranquiliza os estudantes para voltarem as suas casas e garantiu solucionar a situação da greve mais tardar até na próxima segunda-feira.

“O facto de vocês estão aqui é porque tenham a razão, vocês são os nossos filhos, tem direito a formação, vocês não nós pediram para serem os vossos pais, vocês estão no estado da Guiné-Bissau, que na sua constituição garantiu a educação, saúde e bem-estar dos seus filhos.

Podem ir tranquilo para as vossas casas vão resolver este problema, pedimos desculpas pelos vossos sacrifícios que consentiram durante estes dias, mas quero que vocês tenha fé em nós, miguem quer que volta acontecer o que já tinha acontecido principalmente sobre espancamento dos vossos colegas, mais uma vês peço as minhas desculpas” disse Camilo Simões Pereira.

Camilo Simões Pereira, garantiu por outro lado aos estudantes que a porta do Ministério Educação está aberta ao qualquer momento que seja para dialogarem os assuntos da Educação.”Tenham um bom dia para todos vocês, qualquer momento que vocês querem conversar comigo, como já tinha vos dito, a porta da Ministério esta aberto, vocês tenha o vosso chefe, venham para nos dialogar” esclareceu o ministro da Educação.

De recordar que um grupo dos Estudantes das Escolas Publicas do país denominado “CARTA 21” encontravam barricadas já a duas semanas frente do Ministério da Educação Nacional, para exigir do governo abertura das aulas nas Escolas públicas do país, caso a contrário ameaçam na votarem nas próximas eleições legislativas ainda sem a data marcada.

Na mesma ocasião, António Faru, em representação dos Sindicatos dos professores, garantiu aos o inicio das aulas brevemente.

“Quero que vocês transformem estas caras de tristeza para uma alegria porque, alegria porque? Porque, aulas vai começar brevemente segundo compromisso que foram tomadas entre os sindicatos entidades que estão aqui para testemunhar e próprio governo da Guiné-Bissau. Então há razão para que os nossos filhos enquanto alunos vão descansar, de facto já temos o resultado embora falta para a sua formalização” garantiu António Faru.

Esta marcada para próxima segunda-feira uma reunião negocial, em que as partes vão rubricar acordos das propostas que foram apresentadas entre as partes, para o início das aulas nas escolas públicas do país.

//RJ

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Share on Google+
Google+
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu