MINISTÉRIO PÚBLICO VAI ANALISAR O RELATÓRIO FINANCEIRO DA AGÊNCIA NACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL DOS ANOS 2012 A 2014

MINISTÉRIO PÚBLICO VAI ANALISAR O RELATÓRIO FINANCEIRO DA AGÊNCIA NACIONAL DA AVIAÇÃO CIVIL DOS ANOS 2012 A 2014

O Ministério Público da Guiné-Bissau promete fazer uma análise isenta, imparcial e responsável sobre o relatório final da auditoria financeira da Agência Nacional da Aviação Civil dos anos 2012 a 2014, anunciou  quarta-feira (31.01) o Procurador-geral da República.

“Gostaríamos de garantir aqui que o relatório da agência nacional da aviação Cilvil, merecerá uma análise isenta, imparcial e responsável por parte do ministério público, e que o ministério público irá retirar todas as dúvidas consequentes ao relatório”, afirmou Bacari Biai.

Contudo, Bacari Biai pede ao tribunal de contas para estender o trabalho a todas as instituições do Estado guineense como forma de moralizar a administração pública do país.

O Procurador-Geral da República discursava na cerimônia de entrega formal pelo Tribunal de Contas do relatório da auditoria financeira da Agência Nacional da Aviação Civil ao Ministério Publico na instalação do Palácio da Justiça.

Na ocasião, Bacari Biai, revelou que acredita na capacidade técnica e profissional que caracterizam os juízes conselheiros da instituição que procede ao balanço da conta do Estado.

“Eu acredito na vossa capacidade técnico profissional, conheço quais são os brios profissionais que caracterizam os juízes conselheiros do tribunal de contas e toda a máquina da instituição. Para dizer que têm um papel importantíssimo de facto no virar da página da Guiné-Bissau”, vincou Biai.

Visivelmente contente com o trabalho desenvolvido pelo Tribunal de Contas sobre o relatório financeiro da Agência da Aviação Civil, o Procurador-geral da República, afirmou que nenhuma instituição da república pode recusar auditoria da instituição que audita as contas do Estado.

Presente na cerimônia, o Presidente do Tribunal de Contas, Dionísio Kaby, disse esperar que as conclusões tiradas deste relatório sejam encaminhadas para devido efeito.

“De acordo com as experiências ligadas ao nosso trabalho, eu estou convicto que no quadro da colaboração institucional, que no quadro do cumprimento das nossas missões como servidores públicos, o ministério público estará por bem a tomar em consideração as conclusões tiradas deste relatório e encaminhar as respectivas conclusões para os devidos efeitos”, declarou Kaby.

Segundo informação disponível, o relatório final da auditoria financeira da Agência da Aviação Civil decorrente entre os anos 2012 a 2014, veio na sequência denúncia do sindicato dos funcionários da aviação a procuradoria-geral da república.

O Ministério Público, enquanto advogado de Estado, mandou ao Tribunal de Contas, por sinal a instituição com competência de balanço sobre as contas do Estado, fazer uma auditoria.

// Alison Cabral

Deixe uma resposta

Close Menu