Mboma Sanca: “ A GUINÉ-BISSAU NÃO DISPÕE DE UM PLANO SANITÁRIO DE LUTA CONTRA DIABETES”

Mboma Sanca: “ A GUINÉ-BISSAU NÃO DISPÕE DE UM PLANO SANITÁRIO DE LUTA CONTRA DIABETES”

O médico e clinico geral, Mboma Sanca, revelou esta quarta-feira (28.02), que a Guiné-Bissau não dispõe de um plano sanitário elaborado pelo Ministério da Saúde Pública para lutar contra diabetes, a terceira principal causa de morte em todo o mundo.

Sem precisar os dados das pessoas com a doença no país, o médico colocado no Hospital Simão Mendes considera “alarmante” a prevalência das pessoas com diabetes na Guiné-Bissau.

Em entrevista exclusiva à Rádio Jovem, no âmbito do seminário sobre diabetes, organizado Associação para a Saúde e Luta contra Diabetes no país (ASLUCODIABETE), Mboma Sanca refere que o maior número dos casos, ou seja, as patologias que frequentemente dão entrada no maior centro hospitalar do país são das pessoas com diabetes.

“Hoje, nos nossos hospitais casos recorrentes, principalmente no Hospital Simão Mendes, são os das pessoas com diabetes e chegam sem saber que estão com a doença. Esses fatos evidencia que não se está a cumprir o pilar fundamental da medicina que é a prevenção, considerado o nível primário para fazer despistagem dos candidatos a serem diabetes”, explicou Sanca, visivelmente preocupado a prevalência da doença na Guiné-Bissau.

Segundo o também comentador da rubrica de saúde no programa “Guião do Ouvinte”, da Rádio Jovem, para além da falta de plano do desenvolvimento sanitário para lutar contra diabetes, os hospitais do país não estão abastecidos dos equipamentos necessários para atender as pessoas com esta patologia.

“Falamos dos hospitais ao nível do país, sem equipamentos necessários para atendimentos das pessoas que são diabetes. Falamos ainda da falta dos medicamentos tanto nos nossos hospitais como nas farmácias, porque quando diagnosticar uma pessoa deve ser tratada. As nossas farmácias não estão munidas de medicamentos para tratar as pessoas com esta doença”, referiu Sanca, um dos painelista no seminário sobre a doença.

O seminário foi organizado pela ASLUCODIABETE, mas a iniciativa surgiu das irmãs gémeas com diabetes, Misa Lopes e Gisa Lopes, que pretendem reforçar a discussão sobre a problemática da diabetes na Guiné-Bissau e aumentar a sensibilização para os fatores de risco associados, entre os profissionais da saúde e as várias entidades que intervém direta ou indiretamente na matéria.

Perante este facto, o médico e clinico geral instou ao governo no sentido de elaborar, mais urgente, um plano da luta contra esta doença que continua a preocupar muito a população guineense.

Para além de pedir engajamento do governo na luta contra esta patologia, Sanca apelou às pessoas com diabetes a tomar a alimentação equilibrada e fazer exercícios físicos regulares, contribuir para melhorar a compensação da diabetes e o bem-estar.

Dados clínicos definem a diabetes como uma doença crônica, caracterizada pelo aumento dos níveis de açúcar (glucose) no sangue. A quantidade de glucose no sangue chama-se glicemia. A glucose, por sua vez, constitui a principal fonte de energia do organismo proveniente da digestão e transformação de alimentos como os amidos e açúcar (hidratos de carbono) presentes na alimentação.

 Por: Alison Cabral

Foto: Arquivo

 

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu