MANELINHO RETIRADO O PASSAPORTE PELO TRIBUNAL REGIONAL

MANELINHO RETIRADO O PASSAPORTE PELO TRIBUNAL REGIONAL

Manuel Irénio Nascimento Lopes, Líder da Federação de Futebol da Guiné Bissau, foi hoje aplicado o termo de identidade de residência e retirado o passaporte pelo Tribunal Regional de Bissau, durante a primeira sessão de um julgamento em que é suspeito de agressão.

A continuidade do Julgamento do líder federativo ficou marcado para próximo dia 3 de Novembro do corrente ano, depois de mais de três horas de julgamento esta terça-feira, em que foi aplicado medidas de coação, como, termo de identidade de residência, apresentação periódica e obrigação de permanência.

Manuel Irénio Nascimento Lopes é suspeito de agressão física ao cidadão Francisco Silva Monteiro, desde 2006 na sequência de um desentendimento entre os dois, já há onze anos.

Depois de mais de três horas de julgamento, a Juíza detentora do processo marcou para o dia 3 de novembro próximo, a continuidade da audição e obrigou ao Manelinho a apresentar-se duas vezes por semana no Tribunal e a entrega imediata do passaporte, podendo viajar mediante um requerimento junto ao Tribunal.

A saída da audiência, a defesa não prestou qualquer declaração a imprensa, já que o advogado está ausente do país, tendo sido representado por alguns advogados do gabinete.

Por sua vez, o advogado de acusação, Mussa Sanhã mostrou-se satisfeito, pelo facto de que foi possível a realização da primeira sessão de audições, uma vez que já foram marcadas sete sessões que não foram realizadas devido, segundo disse “infelizmente pelas dificuldades dos tribunais”.

“Felizmente houve a primeira sessão de julgamento, onde foi concretizado a fase pré-eliminar do julgamento” notou o advogado da acusação.

Segundo o advogado, foram iniciados o processo de produção de provas que vão sustentar a veracidade da acusação, e que na próxima sessão será o término da produção das provas.

Na sua visão, a produção das provas não teve seu término, pelo que foi adiado o julgamento, para permitir a conclusão das provas que vão sustentar as suas acusações.

Em relação a medidas de coação aplicados ao suspeito, o advogado considera de normal, uma vez que a medida vai permitir que o suspeito permaneça no país até a realização do julgamento.

Mussa Sanhã disse, nesse particular, que durante o processo até acusação, só foi aplicado a medida de termo de identidade de residência, que acabou por se revelar insuficiente para fazer o suspeito comparecer nas anteriores sessões de julgamento.

Porém, segundo Sanhã, se assim acontecer, a lei indica que a medida seja agravada, e nesse sentido, a Juíza aplicou as referidas medidas de coação, que implica a entrega imediata do passaporte do suspeito.

Recorda-se que o presidente da Federação de Futebol da Guiné-Bissau, foi ontem detido pela Polícia Judiciária, pelas faltas consecutivas do dirigente desportivo a um julgamento, no qual está a ser acusado de alegada agressão física.

 

/ / Alcene Sidibé

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu