LOGÍSTICA ELEITORAL COMPLETAMENTE GARANTIDA-CNE

LOGÍSTICA ELEITORAL COMPLETAMENTE GARANTIDA-CNE

O Embaixador de Portugal na Guiné-Bissau, António Alves de Carvalho, entregou este sabado, 23 de fevereiro de 2019, ao presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), José Pedro Sambú um conjunto de materiais oferecidos por Portugal à Guiné-Bissau para a realização das eleições legislativas de 10 de março.

Foram entregues 951 516 boletins de voto, 6 400 atas constitutivas, 64 000 atas síntese, 6 400 atas de apuramento, 6 400 listas próprias dos votantes, 64 000 minutas de protestos/reclamações, 6 000 folhas de descarga dos votos obtidos, 6 000 folhas de descarga dos votos obtidos por sexo e 3 500 carimbos para as mesas de voto.

O diplomata português diz que os materiais doados para o ato eleitoral demonstram a estreita e profunda relação entre dois países lusófonos.

“A confiança depositada em Portugal pela Guiné-Bissau para a produção destes materiais essencial e decisivo ao processo eleitoral do próximo 10 de março demonstra claramente de uma forma inequívoca a estreita, profunda e relação de amizade e fraternidade entre dois países”, declarou Alves de Carvalho.

A ocasião serviu para Alves de Carvalho realçar a excelente colaboração entre a Comissão Nacional de Eleições da Guiné-Bissau e as instituições portuguesas que contribuíram para o sucesso do trabalho.

O presidente da CNE, José Pedro Sambú, diz que o percurso das relações multissecular de cariz histórico, social, cultural e político que uniu dois países, acaba por ser a pedra angular, para Portugal contribuir cada vez mais para afirmação dos pilares do Estado guineense.

Dirigindo aos presentes na cerimónia, Pedro Sambú reafirmou que a logística eleitoral está complemente garantida, e de que o caminho está trilhado, para redobrar os esforços conjuntos com vista ao intrínseco cumprimento da agenda eleitoral.

Recorda-se que o apoio de Portugal se insere nos esforços internacionais que têm vindo a ser concretizados no âmbito do Fundo de Apoio ao Ciclo Eleitoral 2018-2019 do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PUND).

Este Fundo já com contribuições do Governo da Guiné-Bissau, PUND, União Europeia, Comunidade Económica dos Estados da Africa Ocidental (CEDEAO), a União Económica e Monetária da Africa Ocidental (UEMOA), Angola, Estados Unidos de América, Itália, Nigéria, Guiné-Equatorial e Japão.

Por: Alison Cabral   

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu