LIVRAMENTO SAMBU DE BARROS DESIGNADA NOVA SECRETÁRIA EXECUTIVA DO SECRETARIADO NACIONAL DA LUTA CONTRA SIDA NA GUINE-BISSAU

LIVRAMENTO SAMBU DE BARROS DESIGNADA NOVA SECRETÁRIA EXECUTIVA DO SECRETARIADO NACIONAL DA LUTA CONTRA SIDA NA GUINE-BISSAU

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, nomeou, através de um despacho a doutora Livramento Sambú de Barros, para assumir interinamente a função da Secretária Executiva do Secretariado Nacional de Luta contra a Sida (SNLS), substituindo assim o jornalista, Califa Soares Cassama.

No despacho datado de 22 do mês em curso, assinado por Aristides Gomes, lê-se que a Sambú de Barros, que desempenhava o cargo da directora de prevenção de luta contra sida, toma conta da gestão do SNLS até a publicação dos resultados finais do concurso a ser promovido para legitimar o Secretariado Executivo.

“Revelando-se fundamental a necessidade de observância do quadro legal que institui o SNLS, urge retomar o processo de legitimação do Secretariado Executivo, tornando a estrutura institucionalmente mais forte, credível e capaz de responder com eficiência e eficácia a atual exigência do sector”, argumenta-se ainda o primeiro-ministro no despacho na posse da Rádio Jovem.

De recordar que o antigo correspondente do canal português, RDP África na Guiné-Bissau, estava a frente SNLS desde de Janeiro de 2017, nomeado pelo então governo liderado por Umaro Sissoco Embaló.

Os dados mais recentes do SNLS indicam cerca de 60 por cento das pessoas infetadas com o VIH/SIDA, no país, são mulheres e as zonas no Leste – regiões de Bafatá e Gabú -, que fazem fronteira com a Guiné-Conacri e o Senegal, fazem parte das mais atingidas pela doença.

A organização esclarece que a taxa de prevalência do vírus da Imunodeficiência Adquirida, no país, é de 3.3 por cento, ou seja, cerca de 50 mil guineenses são seropositivos. Dados alarmantes quando se compara o país com outros da sub-região.

Por exemplo no Senegal este número ronda o um por cento. São os guineenses com idades entre os 15 e os 49 anos de idade os mais atingidos pela doença.

As regiões de Oio e Biombo (centro/norte do país) e Bolama/Bijagós (ilhas) são as zonas da Guiné-Bissau com menor prevalência da epidemia.

Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu