Liga Guineense dos Direitos Humanos estranha ausência da polícia em protestos

Liga Guineense dos Direitos Humanos estranha ausência da polícia em protestos

O presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos, Augusto da Silva, disse hoje estranhar a ausência de polícia nas ruas de Bissau, onde alunos queimaram pneus e impediram a circulação automóvel, em protesto pela falta de aulas.

Augusto da Silva, que se mostrou solidário com as reivindicações dos alunos sobre o direito a terem aulas, condenou os atos de vandalismo que tiveram lugar em vários pontos da cidade e criticou a ausência das forças de ordem perante os distúrbios.

“Não se compreende esta ausência da polícia, perante os acontecimentos preocupantes que ocorreram hoje nas ruas de Bissau”, observou o presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos.

Augusto da Silva salientou que o Ministério da Administração Interna coordena as várias forças policias e tem a responsabilidade de garantir que a tranquilidade pública não seja posta em causa, mas que “estranhamente remeteu-se ao silêncio” perante os distúrbios pela cidade de Bissau.

O dirigente da Liga disse ter dito pessoalmente aos alunos que concordava com as suas exigências do fim da greve dos professores, mas que não estava de acordo com o fecho das estradas e muito menos que queimassem pneus pelas ruas de Bissau.

Augusto da Silva indicou aos alunos que com a sua ação de protestos estavam a colocar em causa os direitos que também assistem a outras pessoas de andarem livremente pela cidade.

O líder da Liga Guineense dos Direitos Humanos pediu calma e contenção aos alunos, exortou a polícia a repor ordem na cidade e apelou os professores para que sejam razoáveis com as suas greves.

Os professores guineenses estiveram em greve entre outubro e janeiro e os alunos das escolas públicas não tiveram aulas durante todo o primeiro período do ano letivo.

Os três sindicatos de professores iniciam segunda-feira mais um período de greve de 30 dias para reclamar os pagamentos de salários e subsídios em atraso há vários anos e aplicação do Estatuto de Carreira Docente.

Os protestos de hoje levaram ao cancelamento de uma série de atividades oficiais.

LUSA

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu