JOSÉ MARIO VAZ PEDE UNIDADE E ENTENDIMENTO ENTRE OS GUINEENSES

JOSÉ MARIO VAZ PEDE UNIDADE E ENTENDIMENTO ENTRE OS GUINEENSES

O Chefe de Estado da Guiné-Bissau, José Mario Vaz, voltou a pedir esta quarta-feira, 5 de junho de 2019, a unidade e o entendimento entre os guineenses para dar inicio ao processo de construção do país.

“Jomav”, como é conhecido o Presidente guineense falava numa audiência pública concedida aos fiéis muçulmanos guineenses que rezaram ontem depois de 30 dias do jejum, no Palácio da República.

“Sei que durante estes dias do jejum vocês rezaram em nome de todas as famílias guineenses e a Guiné-Bissau para que haja paz e tranquilidade no país” disse Mário Vaz.

Mário Vaz fez lembrar a comunidade religiosa que desde que assumiu a presidência guineense sempre lutou para que haja paz e tranquilidade no país, evitando assim conflito entre os irmãos guineenses.

Apesar da realização das eleições legislativas, o país contínua mergulhada na crise política que iniciou em 2015, após a queda do então o governo liderado por Domingos Simões Pereira, líder do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo-verde(PAIGC).

Perante este cenário, Vaz pediu apoio dos colaboradores diretos das partes desavindas para contribuírem na busca do solução plausível para Guiné-Bissau.

“Sei que outro veio de caliquisse, Binar, Farim, Geba, Nhacra e nós todos viemos de lugar diferente, mas temos uma coisa em comum, somos todos guineenses e temos a responsabilidade levar esta terra para frente, por isso, peço apoio a colaboradores” disse Mário Vaz.

Ladeado pelos alguns dos membros do seu gabinete, “Jomav”, diz que conta com apoio das entidades religiosas na procura da solução para atual situação do país.

Há quase três meses depois das eleições legislativas, a 10 de março, o novo primeiro-ministro ainda não foi indigitado pelo Presidente guineense e o novo Governo também não tomou posse devido a um novo impasse político, que teve início com a eleição dos membros do parlamento.

No último sábado, o Presidente guineense voltou a afirmar que só vai nomear um novo Governo após o fim do impasse para a eleição da mesa da Assembleia Nacional Popular.
De regresso da cimeira da Organização da Conferência Islâmica, que decorreu na Arábia Saudita, José Mário Vaz, disse, em curtas declarações aos jornalistas no aeroporto de Bissau, que aguarda “que haja um compromisso, um diálogo franco, entre os deputados” para de seguida nomear o novo primeiro-ministro e consequentemente o Governo.

Por: AC

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

This Post Has One Comment

  1. Muitas gentes estão a morrer no Hospital por causa medicamento e os alunos sem aulas.
    Isso é união?

Deixe uma resposta

Close Menu