JOSÉ MÁRIO VAZ EXORTA OS GUINEENSES A FISCALIRAZEM O RECENSEAMENTO ELEITORAL

JOSÉ MÁRIO VAZ EXORTA OS GUINEENSES A FISCALIRAZEM O RECENSEAMENTO ELEITORAL

O Chefe de Estado da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, exortou, esta terça-feira (09.10), os cidadãos guineenses a controlarem o andamento do processo do recenseamento eleitoral a nível de todo o território nacional, isto para evitar algumas consequências nas eleições legislativas.

“Jomav”, como é conhecido o Presidente da Republica, falava no sector de Canchungo, há 23 quilómetro da sua terra natal, sector de Caliquisse, região de Cacheu, no âmbito da distribuição de arroz oferecido pela Republica da Índia à Guiné-Bissau.

Ladeado por um forte dispositivo de segurança, Mário Vaz aproveitou para lançar mais um apelo aos cidadãos em idade eleitoral para se distanciarem de quaisquer tentativas que visam boicotar o processo de recenseamento eleitoral que teve o seu início no dia 20 de Setembro de 2018.

“Todos devem ir recensear-se para escolher os nossos próximos representantes e para podermos saber realmente quem está ao lado do povo guineense, e quem na realidade está em condições de governar a Guiné-Bissau na próxima legislatura para poder resolver o problema de saúde, estrada e da educação”, referiu Vaz.

Vaz fez lembrar ao líder do governo guineense, Aristides Gomes, que deve se centrar na missão que lhe foi incumbido a quando da sua nomeação, a missão esta que é a realização das eleições legislativas justas, credíveis e transparentes, assegurando a participação de todos os guineenses com idade de votar.

Durante a sua intervenção de quase 20 minutos, o Presidente da Republica voltou a elogiar a conduta exemplar dos militares guineenses, principalmente do chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas, general Biagué Na Ntam, pela maturidade demonstrada durante toda a crise política que assolou o país nos últimos três anos.

“O país voltou a normalidade, porque temos uma boa liderança a nível das nossas forças armadas (general Biagué Na Ntam), por isso gostaria de dizer obrigado aos nossos militares e, em especial, ao chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas que contribui muito para estabilizar a Guiné-Bissau”, argumentou Vaz.

Vaz debruçou-se também sobre o cenário sociopolítico do país, tendo apelado a população guineenses a preservar a unidade nacional para empurrar o processo de construção da Guiné-Bissau.

Para além da região de Cacheu, norte do país, o Chefe de Estado guineense já entregou sacos de arroz na regiões de Bafatá, Gabú e Oio, com o objetivo de ajudar a minimizar as consequências, junto da população, dos prejuízos provocados pelas inundações e a seca.

Neste périplo, “Jomav” esteve acompanhado pelos seus colaboradores diretos, com destaque para Botche Candé, conselheiro para as áreas de Defesa e Segurança interna e externa e o ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Nicolau dos Santos.

Ainda esteve na comitiva que acompanhou o Presidente da Republica a sector de Canchungo o embaixador da Índia para a Guiné-Bissau, Rajeer Kumak, que na sua breve intervenção realçou os laços de amizade que une os dois países.

De recordar que a Índia entregou um donativo de 1.000 toneladas de arroz ao país no mês de Setembro ultimo.

Por: Alison Cabral

 

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Share on Google+
Google+
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu