GUINÉ-BISSAU É O SEGUNDO PAÍS LUSÓFONO COM PIOR COBERTURA DE SERVIÇOS BÁSICOS DE SAÚDE

GUINÉ-BISSAU É O SEGUNDO PAÍS LUSÓFONO COM PIOR COBERTURA DE SERVIÇOS BÁSICOS DE SAÚDE

A Guiné-Bissau é segundo o país lusófono com pior cobertura de serviços básicos de saúde, segundo um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Banco Mundial (BM) divulgado na quarta-feira,13 de Dezembro, em Nova Iorque, EUA.

A lista é liderada por Angola, seguem-se a Guiné-Bissau, com 39, Moçambique 42, Timor-Leste 47, São Tomé e Príncipe 54, Cabo Verde 62 e Brasil 77 por cento.

Portugal é o país lusófono com melhor resultado, tendo mais de 80 por cento da sua população coberta, mas o relatório não especifica a percentagem de acesso acima dos 80 por cento, escreve a Agência Lusa.

O relatório, intitulado ‘Tracking Universal Health Coverage: 2017 Global Monitoring Report’, aponta que pelo menos metade da população mundial não tem acesso a cuidados essenciais de saúde.

 

120 Países analisados 

O documento que avalia indicadores na área da saúde em mais de 120 países, refere que mais de 800 milhões de pessoas em todo o mundo, o correspondente a 12 por cento da população mundial, gastam menos de 10 por cento do seu orçamento familiar em cuidados de saúde.

 

Portugal é o país onde as pessoas gastam mais  em cuidados de saúde, 18 por cento. Seguidamente, aparece  Angola (12 por cento), São Tomé e Príncipe (10 por cento), Timor-Leste (3,0 por cento), Cabo Verde (pouco mais de 2,0 por cento) e Moçambique (cerca de 1,0 por cento). O relatório não apresenta valores para a Guiné-Bissau.

 

Ainda sobre os países  lusófonos, o Brasil é onde uma maior percentagem de pessoas gasta 10 por cento, ou mais, dos seus rendimentos em gastos de saúde. Segundo o relatório, cerca de 26 por cento dos brasileiros cabem nesta categoria.

Fonte: DW

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu