GUINÉ-BISSAU: IAIA DJALO É CANDIDATO DO PND À PRESIDÊNCIA DA GUINÉ-BISSAU

GUINÉ-BISSAU: IAIA DJALO É CANDIDATO DO PND À PRESIDÊNCIA DA GUINÉ-BISSAU

O lider do Partido da Nova Democracia(PND), Iaia Djaló, é candidato do partido às presidenciais de 24 de novembro, na Guiné-Bissau, anunciou este sábado, 31 de agosto, o Conselho Nacional do PND.

De acordo com o órgão que dirigiu os trabalhos para a escolha de candidato do partido, 151 membros do Conselho Nacional do PND presentes na reunião, 131 votaram a favor de Iaia Djaló, 11 votaram no candidato derrotado, Braima Cassama e 9 membros não votaram.

Durante a sua intervenção, Iaia Djaló começou por realçar a confiança depositado na sua pessoa pelos militares do partido, tendo prometido garantir a estabilidade governativa e parlamentar, caso for eleito Chefe de Estado da Guiné-Bissau.

“Pensamos que vamos servir de um elemento para garantir com solidez uma harmonia necessária e para uma convivência democrática, é isso que é a nossa responsabilidade e que nos motivou a candidatar-se mais uma vez às eleições presidenciais do país” argumentou Djaló.

Igualmente ministro da Comércio e Artesanato no atual governo liderado por Aristides Gomes, Djaló concorreu todas as eleições presidenciais desde 2005 até a data presente.

Djaló reconheceu que é muito difícil para o povo guineense tomar uma decisão na urna. Contudo, afirma que é fundamental que o povo pense numa alternativa mais credível para o país, o que passa, segundo Presidente do PND, para uma reflexão profunda dos cidadãos guineenses antes de votar numa pessoa que ira dirigir a Guiné-Bissau nos próximos 5 anos.

O lider do PND afirma que o país precisa de um Chefe de Estado com estabilidade emocional e que não tem compromissos nem jogos mesquinhos com diferentes formações políticos.

Durante a sua longa explanação, Iaia Djaló promete ser um Chefe de Estado que vai trabalhar no sentido de unir todos os filhos da Guiné-Bissau e ser isento dos jogos partidários, assim como ser capaz de unir todos os partidos políticos em democracia para permitir ao país conhecer os passos do desenvolvimento.

No plano bilateral, Iaia Djaló revela que, caso for eleito presidente, vai privilegiar as relações com a União Europeia (UE), Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), União Africana (UA) e Nações Unidas (ONU), de forma a promover a Guiné-Bissau no mundo inteiro.

Braima Cassama, candidato derrotado, afirmou que esta firme e disponivel a reforçar o desenvolvimento da democracia interna do partido e vai trabalhar ao lado de Iaia Djaló para garantir a vitória do PND nas próximas eleições presidenciais.

Dos vários possíveis candidatos às presidenciais do país, até ao momento, já confirmaram a sua candidatura, três são antigos primeiros-ministros do país, nomeadamente Carlos Gomes Júnior, como independente, Domingos Simões Pereira, candidato do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) e Umaro Sissoco Embalo, candidato do Movimento para a Alternância Democrática.

O líder do Partido da Unidade Nacional (PUN), Idrissa Djaló é outro candidato às presidenciais da Guiné-Bissau.

A primeira volta das presidenciais na Guiné-Bissau está marcada para 24 de novembro. Caso nenhum candidato obtenha a maioria dos votos, a segunda volta está prevista para 05 de janeiro.

Por: AC

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu