GUINÉ-BISSAU ESTÁ SEGURO PARA RECEBER V CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA CPLP

GUINÉ-BISSAU ESTÁ SEGURO PARA RECEBER V CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA CPLP

A Guiné-Bissau está segura para receber entre 14 e 18 de abril de 2019 o V Congresso de Educação Ambiental da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e Galiza, disse esta terça-feira, 09 de abril de 2019, o ponto focal da Rede Lusófona de Educação Ambiental (Redeluso) no país.

O congresso que vai decorrer na Arquipélago dos Bijagós, contará com um total de 450 participantes entre delegados estrangeiros e nacionais que vão estar durante cinco dias na ilha dos Bijagós, para discutirem, trocar informações e experiências ambientais a nível dos países da CPLP e Galiza.

Em conferência de imprensa com objetivo de fazer ponto da situação dos trabalhos preparativos do evento, em Bissau, Fernando Saldanha, revela que neste momento toda a equipa ligada a segurança já está em Bubaque para assegurar os delegados.

“Já foram criadas todas as condições necessárias, não só da segurança, porque este compromisso é da toda nação guineense começando pelo presidente da comissão de honra, que o Chefe de Estado, José Mário Vaz e passando pelo governo”, declarou Saldanha.

O evento visa dar continuidade à metodologia dos congressos anteriores, contribuindo para a formulação de políticas públicas capazes de fortalecer a Educação Ambiental (EA) nos países Lusófonos e Galiza.

Na ocasião, o presidente da Redeluso Internacional, Joaquim Ramos Pinto, revela que a organização que preside está disposta a fazer as atividades do congresso possam ter proposta concretas de ações no âmbito da cooperação dos países da CPLP.

O Vº Congresso Internacional de Educação Ambiental dos Países e Comunidades de Língua Portuguesa vai ser presidido pelo Chefe de Estado, José Mário Vaz na presença dos ministros de ambiente dos países lusófonos assim como o Secretário Executivo da CPLP, Francisco Ribeiro Telles.

Na programação do evento, estão previstas realização de minicursos, mesas redondas, visitas a iniciativas e projetos locais, apresentação de livros e revistas, proporcionando a oportunidade de troca de ideias e cruzamento de trabalhos.

A agenda do evento revela, igualmente, um debate no fórum promovido pela Rede Lusófona sobre a “Crise Ecológica e Migrações: Leituras e Respostas da Educação Ambiental”, contribuindo para o fortalecimento da REDELUSO e da própria Educação Ambiental.  

Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu