Guiné-Bissau/Eleições: Comissão da ONU junta-se a apelos para presidenciais livres

Guiné-Bissau/Eleições: Comissão da ONU junta-se a apelos para presidenciais livres

Lisboa, 16 nov 2019 (Lusa) – A Comissão da Configuração da Paz da ONU para a Guiné-Bissau congratulou-se com os apelos lançados pela organizações regionais e internacionais para que os atores políticos mantenham o compromisso de eleições presidenciais justas e livres.

Esta posição consta de um comunicado saído da reunião deste comissão, em que se agradece o envolvimento no processo de paz do Grupo dos Cinco na Guiné-Bissau (ONU, União Africana, Observador Permanente da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental/CEDEAO, União Europeia/UE, CPLP) para a estabilização da Guiné-Bissau.

Na mesma nota, divulgada hoje, expressa-se também um agradecimento ao “importante papel” e às contribuições da Representante Especial da Secretária Geral Rosine Sori-Coulibaly e da equipa do UNIOGBIS.

Os membros da Comissão dizem apoiar os apelos lançados pelas organizações regionais e internacionais a todos os atores políticos da Guiné-Bissau para que mantenham o seu compromisso de realizar “eleições presidenciais livres, justas, pacíficas, transparentes e credíveis em 24 de novembro de 2019”, assim como para concluir o ciclo eleitoral em 29 de dezembro de 2019, se for necessário uma segunda volta.

Nesse sentido, exortam os atores políticos a absterem-se de tomar qualquer ação que possa “impactar negativamente na organização das eleições presidenciais”.

A Comissão destaca que a conclusão bem-sucedida do processo eleitoral na Guiné-Bissau será fundamental para romper o ciclo de instabilidade política e garantir um compromisso internacional de longo prazo com a implementação das prioridades de construção da paz e a promoção do desenvolvimento socioeconómico naquele país lusófono.

Assim, a Comissão encoraja todas as partes interessadas políticas a resolver as suas diferenças através do diálogo e de acordo com as disposições da Constituição guineense.

A Comissão reitera o seu compromisso de acompanhar a Guiné-Bissau na realização de reformas políticas e institucionais, conforme descrito no Acordo de Conacri e no plano estratégico de desenvolvimento do governo para 2015-2025.

“Em estreita colaboração com a liderança do UNIOGBIS, a Comissão compromete-se a mobilizar apoio internacional para o fortalecimento das instituições locais e a promoção do diálogo e da reconciliação, inclusivamente capacitando mulheres e jovens a desempenharem um papel maior nesses processos”, acrescenta a nota.

A Comissão salienta também a sua expectativa de que mudanças futuras na presença das Nações Unidas na Guiné-Bissau tenham em consideração a necessidade de apoio efetivo à implementação das prioridades de construção da paz no país.

A reunião juntou como representantes o presidente da Configuração Específica para o País, embaixador Mauro Vieira, Rosine Sori-Coulibaly, Representante Especial do Secretário-Geral e Chefe do Escritório Integrado de Construção da Paz das Nações Unidas na Guiné-Bissau (UNIOGBIS), Tanou Koné, Observador Permanente da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), Barrie Freeman, Diretora e Vice-Chefe do Escritório de Apoio à Construção da Paz e os membros da Configuração Específica do País na Guiné-Bissau.

A Guiné-Bissau realiza eleições presidenciais em 24 de novembro, estando a segunda volta, caso seja necessária, marcada para 29 de dezembro.

LUSA

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu