GUINÉ-BISSAU DISPÕE DE BIOMASSA SUFICIENTE PARA ATRIBUIR LICENÇAS DAS PESCAS

GUINÉ-BISSAU DISPÕE DE BIOMASSA SUFICIENTE PARA ATRIBUIR LICENÇAS DAS PESCAS

A Guiné-Bissau dispõe neste momento de grande quantidade do Biomassa dos recursos pesqueiros na Zona Económica Exclusiva do país, que permite o governo guineense continuar a sua política de conceção das licenças de pesca.

Os dados constam no relatório de Campanha Cientifica Avaliação dos Stoks Demersais na Zona Económica do país, que foi apresentando esta quarta-feira, 06 de fevereiro de 2019, no Ministério das Pesca, na presença da titular da pasta, Adiato Djaló Nandigna.

Convidado pela imprensa para comentar os dados divulgados, o diretor-geral do Centro de Investigação Pesqueira Aplicada (CIPA), Issa Bari, disse que os dados apresentados mostram que o país tem recursos suficientes para atribuir mais licenças, mas alerta que é fundamental fazer uma uma gerência de forma responsável.

“Todos os anos há sempre uma avaliação dos stoks, mas temos também os dados estatísticos de atividades da pesca e através destas informações o CIPA, fez-se um plano dos recursos haliêuticos para atribuição das licenças em função das biomassas existentes”, declarou Bari.

Presidindo os trabalhos de apresentação do documento, a ministra das Pescas, Adiato Djaló Nandigna, diz que este relatório é mais um instrumento para gestão durável dos recursos pesqueiros do país.

A campanha permitiu ainda estudar os parâmetros biológicos das principais espécies de peixes, cartografar as espécies de maior interesse comercial e caracterizar a hidrografia da zona.

De mencionar, que esta campanha foi realizada entre os dias 10 a 22 de dezembro de 2018, no âmbito do fundo de apoio sectorial da União Europeia (EU) e teve como finalidade avaliar os stocks das principais espécies de peixe.

De referir que no mês de novembro de 2018, a União Europeia (UE) e a Guiné-Bissau rubricaram o acordo de pesca para navios de alguns países europeus operarem em águas guineenses, após seis rondas negociais durante mais de um ano.

À luz do novo acordo de pesca, a União Europeia pagará à Guiné-Bissau 15,6 milhões de euros anuais durante cinco anos. No anterior acordo, que expirou em novembro de 2017, Bissau recebia pela pesca de navios europeus nas suas águas 9,5 milhões de euros anuais.

Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu