GUINÉ-BISSAU: COMUNIDADE INTERNACIONAL DEFENDE CLIMA DE PAZ E ESTABILIDADE NAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DE NOVEMBRO

GUINÉ-BISSAU: COMUNIDADE INTERNACIONAL DEFENDE CLIMA DE PAZ E ESTABILIDADE NAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DE NOVEMBRO

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Cabo-Verde, Luís Filipe Tavares, disse nesta sexta-feira, 13 de Setembro de 2019, que a comunidade internacional espera que as eleições de 24 de Novembro próximo na Guiné-Bissau decorram num clima de paz, estabilidade, tranquilidade e transparência.

“Toda a comunidade internacional está expectante para que as eleições presidenciais possam decorrer da melhor forma possível, num clima estabilidade e paz, porque a Guiné-Bissau é grande país e tem um povo trabalhador”, explicou Filipe Tavares, a saída da audiência com o Chefe de Estado guineense, José Mário Vaz.

Aos jornalistas, Filipe Tavares revela que o Cabo-Verde e a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) estão no país para transmitir esta mensagem de solidariedade e de apoio ao processo eleitoral, sobretudo da paz, para que a Guiné possa encontrar o caminho do desenvolvimento, como é grande ambição do povo guineense.

O chefe da diplomacia cabo-verdiana iniciou hoje uma visita de dois dias a Bissau, acompanhado pelo secretário-executivo da CPLP, o embaixador português Francisco Ribeiro Telles, para apresentar às autoridades guineenses as prioridades de Cabo Verde, enquanto país que detém a presidência rotativa da CPLP, mas também analisar o processo eleitoral em curso no país.

Ladeado da sua homologa guineense, Suzi Barbosa e do secretário-executivo da CPLP, Filipe Tavares revela igualmente que a CPLP vai enviar observadores eleitorais para acompanhar as eleições presidenciais na Guiné-Bissau marcadas para 24 de Novembro.

“A nossa presença na Guiné-Bissau é muito importante, porque o povo e as autoridades guineenses contam com a organização lusófona e nós queremos acompanhar este processo de perto, por isso, enquanto país que detém a presidência rotativa da organização, respondermos muito rapidamente ao convite que nos foi formulado nós Cabo-Verde, mas também à CPLP, por isso, que estamos aqui para acompanhar o processo”, explicou Filipe Tavares.

Durante a sua explanação, ministro dos Negócios Estrangeiros do Cabo-Verde anuncio que há disponibilidade do seu país em retomar a cooperação com a Guiné-Bissau, com destaque para as áreas sociais, económicas e comerciais, após a realização das eleições presidenciais.

Questionado pela imprensa para quando a retoma da representação permanente da CPLP na Guiné-Bissau, Filipe Tavares referiu que é um assunto que está ser analisado. Porém, mostrou-se confiante que a organização vai encontrar a melhor solução institucional e técnica para responder ambição da Guiné-Bissau.

Além do Presidente guineense, a delegação já se encontrou com o líder do parlamento guineense, Cipriano Cassamá, ministra dos Negócios Estrangeiros, Suzi Barbosa, ministra da Administração Territorial e Gestão Eleitoral, Odete Semedo. Secretário de Estado da Ordem Pública, Mário Siaegh e a ministra da Saúde Pública, Magda Robalo.

Integram a CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Por: AC

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu