GUINÉ-BISSAU: CNE LAMENTA ELEVADA ABSTENÇÃO NO PLEITO DE 24 DE NOVEMBRO

GUINÉ-BISSAU: CNE LAMENTA ELEVADA ABSTENÇÃO NO PLEITO DE 24 DE NOVEMBRO

O presidente da Comissão Nacional de Eleições da Guiné-Bissau (CNE), José Pedro Sambu, lamentou, esta quarta-feira, a alta taxa de abstenção dos eleitores na primeira volta das eleições presidenciais no país, situando-se nos 25,63%.

Em declaração à imprensa após a divulgação dos resultados, num dos hotéis de Bissau, Pedro Sambu apelou a participação massiva dos potenciais eleitores na segunda volta do escrutínio eleitoral de 29 de dezembro.

Apesar do elevado taxa de abstenção, considerado a mais elevadas de sempre no país, o presidente da CNE realçou a forma ordeira e pacifica como decorreram as eleições presidenciais do passado dia 24 novembro.

Segundo Pedro Sambú, o ato eleitoral vem confirmar o elevado nível de civismo e profundo sentido de responsabilidade dos atores implicados no processo e de todos os guineenses.

Ladeado dos seus diretos colaboradores, Pedro Sambú entende que esta moderação efetiva e a capacidade do bom senso, reinados, são mais do que nunca provas irrefutáveis do exercício pleno da cidadania ativa da parte dos eleitores, candidaturas e da população guineense no seu todo.

Segundo a Comissão Nacional de Eleições, Domingos Simões Pereira, apoiado pelo Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), e Umaro Sissoco Embaló, apoiado pelo Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15), vão disputar a segunda volta das eleições presidenciais da Guiné-Bissau.

Domingos Simões Pereira foi o candidato que obteve maior percentagem de votos, 40,13%, enquanto Umaro Sissoco Embalo obteve 27,65% dos votos.

O Presidente cessante, José Mário Vaz falhou a reeleição, sendo o quarto mais votado, com 12,41% dos votos.

O ex-chefe de Estado ficou atrás do candidato apoiado pela Assembleia do Povo Unido — Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB) e pelo Partido da Renovação Social (PRS), Nuno Nabian, que conseguiu 13,16% dos votos.

Em quinto lugar ficou o ex-primeiro-ministro Carlos Gomes Júnior, que conseguiu 2,66%, seguido de Baciro Djá, com 1,28%.

Os restantes seis candidatos ficaram abaixo de 1%: Vicente Fernandes (0,77%), Mamadu Iaia Djaló (0,51%), Idriça Djaló (0,46%), Mutaro Intai Djabi (0,43%), Gabriel Fernando Indi (0,36%) e António Afonso Té (0,19%).

Segundo o cronograma eleitoral para as eleições presidenciais da Comissão Nacional de Eleições, a segunda volta vai realizar-se em 29 de dezembro.

Por: AC

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu