“GRUPO DE EMPRESÁRIOS PRETENDEM ABASTECER ARROZ NO MERCADO NACIONAL”

“GRUPO DE EMPRESÁRIOS PRETENDEM ABASTECER ARROZ NO MERCADO NACIONAL”

 

Um grupo de empresários nacionais pretendem abastecer entre 45 a 50 mil toneladas de arroz no país até mês de Janeiro de 2018, anunciou esta segunda-feira, o porta-voz do coletivo.

A intenção de empresários nacionais, surgiu numa altura que se fala da escassez do produto considerado a base alimentar dos guineenses nos principais mercados internacionais.

Segundo, Agnelo Lima Gomes, o abastecimento do mercado será realizada em duas fases, devido a falta de condição do Porto de Bissau em receber barco de grande porte, de maneira que logo na primeira fase, irão trazer 25 mil toneladas e na segunda fase finalizar o restante.

“Desafio está lançado, mas a nossa a maior preocupação é conseguir o crédito bancário para abastecer o mercado nacional com o arroz”, declarou o empresário.

Agnelo Lima Gomes, falava à imprensa na saída de encontro conjunta entre as empresas que operam na fileira de caju e os diretores dos Bancos comerciais do país, com o Chefe de Estado para aconselhar os bancos a conceber créditos os empresários nacionais.

˝Objetivo desse encontro foi a preocupação de Camará Comercio, Industria, Agricultura e Serviços (CCIAS), que apresentou o Presidente da República do nível de escassez e stock do arroz que se encontra no país. Na reunião anterior que temos, o Chefe de Estado prometeu chamar os bancos para que juntamente, ver como operacionalizar uma grande importação, porque quanto maior for a quantidade importada, melhor é o preço comprado espelhou Lima Gomes.

Aquele empresário guineense, informou ainda que de acordo com as informações a situação do preço do arroz que esta ser praticado não vai melhorar até no mês de Janeiro e Fevereiro do próximo ano, de maneira que o Chefe de Estado que é o patrocinador deste encontro, está a diligenciar qual é a melhor forma das empresas e os bancos a sentarem na mesma mesa para falar das modalidades e como agilizar as operações a fim abastecer o mercado guineense.

Devido a escassez de arroz nos principais mercados mundiais, o Senegal que fez fronteira com a Guiné-Bissau, não deixa sair todo produto, porque o nível de stock de segurança é baixo, segundo informações na posse da Radio Jovem.

//Aguinaldo Ampa

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu