GOVERNO PEDE SANÇÕES CONTRA TRÁFICO DE SERES HUMANOS

GOVERNO PEDE SANÇÕES CONTRA TRÁFICO DE SERES HUMANOS

O ministro da Função Publica do executivo demitido, Tumane Baldé pediu esta quinta-feira (29.03) que se aplique medidas de sanções contra indivíduos que traficam os seres humanos para fins de trabalho forçado.

Para Baldé, a problemática do tráfico de seres humanos na Guiné-Bissau, deve ser uma batalha colectiva de todos, acompanhado com a regulamentação sobre a matéria.

“Essas medidas de regulamentação, deverão ser levadas ao conhecimento das pessoas sujeitas ao trabalho forçado, permitindo-lhes de apresentar às autoridades qualquer reclamação relativas as condições de trabalho que lhes são apresentadas e também examinadas e tomadas em consideração”, disse.

O governante do executivo demitido, discursava à margem do encontro da mesa redonda de partilha de estratégia regional de advocacia contra o tráfico para fins do trabalho forçado no exterior e o plano de ação nacional para a Guiné-Bissau, organizada pelo Instituto de mulher e criança, através de Comité Nacional de prevenção de luta contra o tráfico de seres humanos (CNT).

Baldé, diz que atribuição de qualquer organismo de inspeção para a vigilância do trabalho livre, seja por qualquer outro sistema conveniente, o Estado guineense, vai apoiar incondicionalmente essas iniciativas.

O evento inscreve-se no âmbito do projeto, Apoio a Livre Circulação de Pessoas e Migração na Africa Ocidental (FMM Africa Ocidental), financiado pela da Comunidade Económica dos Estados da Africa Ocidental (CEDEAO) em parceria com a União Europeia (EU) e executado pelo Centro Internacional de Desenvolvimento das Politicas Migratórias (CMPD) em beneficio dos 6 países da Africa Ocidental (Gambia, Guiné-Bissau, Mali, Guiné-Conacri, Mauritânia e Senegal).

De acordo com dados disponíveis, só em Dakar (Senegal) perto de 8 mil crianças mendigam-se nas ruas, sendo que, as crianças talibés representam 90% do total.

Entre os países representados, testemunham-se que 95% destas crianças são originários dos países vizinhos como a Guiné-Bissau, a Guiné-Conacri, a Gambia e Mali. Estima-se que 30% das crianças mendigas (talibés) na região de Dakar são ordinários da Guiné-Bissau.

O tráfico de pessoas para fins de trabalho forçado é assunto que levanta serias preocupações a toda a comunidade internacional e particularmente aos Estados da sub-região Oeste Africana.

Por: Alison Cabral

 

 

 

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu