GOVERNO GUINEENSE PROLONGA PRAZO DE RECENSEAMENTO ELEITORAL

GOVERNO GUINEENSE PROLONGA PRAZO DE RECENSEAMENTO ELEITORAL

O governo guineense anunciou, esta quarta-feira, 17 de Outubro, o prolongamento da data de recenseamento eleitoral até 20 de Novembro, comprometendo assim a data de 18 de Novembro.

A decisão do executivo foi comunicada à imprensa pela Ministra da Administração Territorial, Ester Fernandes, depois de um encontro entre o governo e os partidos que o suportam, no qual a governante avançou que o recenseamento vai cumprir os prazos legais.

″ Vai-se cumprir a lei eleitoral. O recenseamento vai ser feito em 60 dias. Fazendo as contas termina no dia 20 de Novembro″ informou Ester Fernandes.

Questionada se o novo cronograma não irá comprometer a data de ida às urnas, Ester Fernandes sublinhou que o governo está apenas a cumprir a lei eleitoral, afirmando que ″ o governo não marca a data das eleições. O governo cumpre as orientações vindas de quem de direito. Portanto, o governo cumpra a lei do recenseamento.

A decisão do governo foi conhecida horas depois de o Chefe de Estado, José Mário Vaz, ter deixado o país com o destino a Dakar, capital do Senegal, para consultas com o seu homólogo, presidente senegalês Macky Salla.

Por isso, os guineenses aguardam um pronunciamento do Presidente da República sobre a marcação de uma nova data para as eleições legislativas na Guiné-Bissau.

Esta terça-feira, em comunicado do conselho de Ministros, o executivo felicitou, os membros do Gabinete Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral (GTAPE) e das Brigadas de Recenseamento espalhadas pelo país pelos esforços que vêm desenvolvendo para o registo dos eleitores, não obstante as dificuldades decorrentes da insuficiência dos kits.

O executivo encoraja as entidades referidas (GTAPE e Brigadas de Recenseamento) a prosseguirem com o registo de eleitores, procurando aperfeiçoar, cada vez mais, a metodologia de trabalho e o espírito de serviço, em ordem ao atendimento condigno dos cidadãos eleitores, em estrita observância do período fixado na lei, refere, em comunicado divulgado à imprensa, o Conselho de Ministros.

No comunicado que a Radio Jovem teve acesso, o coletivo governamental apela as populações no sentido de prestarem a sua contribuição patriótica para o sucesso do recenseamento eleitoral para o bem da democracia guineense e apela a afirmação do Estado Democrático na Guiné-Bissau, assinalando com toda a objetividade os eventuais atropelos a lei e apresentando as devidas provas.

Ainda esta quarta-feira, o GTAPE anunciou que recenseamento na Guiné-Bissau chegou a apenas 25% dos eleitores, do universo estimado pelo Instituto Nacional de Estatística, que é de 886.292 eleitores.

O processo eleitoral em curso na Guiné-Bissau tem provocado fortes críticas dos partidos sem assento parlamentar e da sociedade civil, que têm pedido que as legislativas sejam adiadas.

Em causa está, essencialmente, o recenseamento eleitoral que não decorreu entre 23 de agosto e 23 de setembro, como previsto, devido a atrasos na chegada dos equipamentos para recenseamento biométrico.

A Nigéria acabou por se disponibilizar para doar 350 ‘kits’ de registo biométrico, mas apenas 150 chegaram ao país, devendo os restantes ser recebidos no sábado, dia em que termina o atual recenseamento.

Por: Redação

 

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Share on Google+
Google+
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu