FODÉ MANÉ: ” A INSTABILIDADE POLÍTICA RECORRENTE NA GUINÉ-BISSAU INTERESSA A MUITAS E DIFERENTES PERSONALIDADES “

FODÉ MANÉ: ” A INSTABILIDADE POLÍTICA RECORRENTE NA GUINÉ-BISSAU INTERESSA A MUITAS E DIFERENTES PERSONALIDADES “

O jurista e reitor da Universidade Amílcar Cabral, Fodé Mané, afirmou esta quinta-feira, 13 de fevereiro, que vários atores, tanto a nível interno e bem como externo, estão interessados com as recorrentes instabilidades políticas na Guiné-Bissau.

“A instabilidade política recorrente na Guiné-Bissau interessa a muita gente, não só a nível interno, como para alguns parceiros geopolítico internacional”, afirmou Fodé Mané aos jornalistas após a abertura do seminário da Governação Internacional, num dos hotéis em Bissau, sob lema: Governação e Estado de Direito,

Mané entende que estas instabilidades políticas no país estão ligadas a violenta criminalidade transfronteristicas, embora realça o apoio dos parceiros internacionais na luta contra a droga, o terrorismo e o branqueamento do capital no país.

O seminário organizado pelo Projeto de Apoio a Consolidação do Estado de Direito (PACED), visa refletir sobre o envolvimento local e nacional na construção de agendas de cooperação internacional, bem como o impacto nas reformas da justiça que constitui o primeiro dos seis seminários abertos à sociedade civil.

Nesta senda, o jurista guineense diz que esta iniciativa é mais uma etapa de luta para a construção de um Estado Democrático na Guiné-Bissau.

Confrontado com a situação da justiça no país, o reitor da universidade pública lamenta a situação, e acrescenta que é fundamental fazer trabalhar algumas instituições para permitir o país ter uma justiça promotora do desenvolvimento.

Além do Procurador-Geral da República da Guiné-Bissau(PGR), Ladislau Embassa, esteve presente no seminário a delegada da União Europeia no país, Sónia Neto e o embaixador de Portugal no país, Antônio Alves de Carvalho.

A cerimônia de abertura dos trabalhos foi presidido pelo secretário geral do Ministério da Justiça, Gabriel Omabano, em representação da ministra, Ruth Monteiro.

O PACED tem como objetivos, a afirmação e consolidação do Estado de Direito nos PALOP e Timor Leste, assim como a prevenção e luta contra a corrupção, o branqueamento de capital e a criminalidade organizada, em particular, o tráfico de estupefacientes.

As suas atividades centram-se no reforço da capacidade institucional das autoridades competentes ao nível legislativo, executivo e judiciário, promovendo o intercâmbio, a partilha de conhecimento e de boas práticas.

Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu