FMI NA GUINÉ-BISSAU PARA AVALIAR PROGRAMA DE CRÉDITO ALARGADO

FMI NA GUINÉ-BISSAU PARA AVALIAR PROGRAMA DE CRÉDITO ALARGADO

Missão do Fundo Monetário Internacional chega este sábado a Bissau para “análise da evolução monetária e financeira do país”.

Segundo um comunicado do Governo da Guiné-Bissau, a missão do FMI, liderada por Tobias Rasmussen, vai permanecer no país até sexta-feira (18.01).

Rasmussen terá encontros com o primeiro-ministro e ministro das Finanças, Aristides Gomes, e com a diretora nacional do Banco Central dos Estados da África Ocidental, Helena Mosolini Embalo, para “análise da evolução monetária e financeira do país, do setor bancários e das perspetivas para 2019”.

A missão vai reunir-se também com os parceiros de desenvolvimento da Guiné-Bissau, incluindo União Europeia, Banco Mundial, Banco da África Ocidental para o Desenvolvimento e com o Banco da África Ocidental.

O FMI terá ainda no final da visita um encontro com o Presidente guineense, José Mário Vaz.

Intervenção alargada

O Conselho de Administração do FMI aprovou no início de junho no âmbito do Programa de Crédito Alargado ao país o desembolso de mais 4,3 milhões de dólares (cerca de 3,6 milhões de euros).

O FMI aceitou também um pedido das autoridades guineenses para a intervenção ser alargado até julho de 2019.

Com o prolongamento da sua intervenção no país, o programa de crédito alargado aumentou para o montante de 32,2 milhões de dólares (cerca de 27,6 milhões de euros).

A economia da Guiné-Bissau desacelerou em 2018 devido à diminuição das exportações da castanha de caju, principal produto de exportação do país.

Segundo o Conselho Nacional de Crédito da Guiné-Bissau, em 2018 a taxa de crescimento do Produto Interno Bruto foi de 3,8% contra os 5,9% do ano de 2017.

Fonte: Lusa

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu