FEDERAÇÃO DOS MOTORISTAS GUINEENSES AMEAÇA PARALISAR CIRCULAÇÃO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS

FEDERAÇÃO DOS MOTORISTAS GUINEENSES AMEAÇA PARALISAR CIRCULAÇÃO DOS TRANSPORTES PÚBLICOS

A Federação Nacional das Associações dos Motoristas Transportadores da Guiné-Bissau, vai paralisar de novo os serviços de transporte público no país, durante três dias para exigir ao executivo o cumprimento do memorando de entendimento, na sequência de um acordo alcançado com o Governo, anunciou esta segunda-feira (17.12), o líder da organização.

O acordo alcançado no mês de Outubro tem 19 pontos e prevê, entre outros, o respeito escrupuloso do Código de Estrada, a criação de um calendário para a realização das operações stop, que devem decorrer em determinadas horas, nomeadamente entre as 06:00 e as 14:00 e as 16:00 e as 21:00.

Em conferência de imprensa na sede da organização em Bissau, Bubacar Frederico Hopffer, acusou o governo liderado por Aristides Gomes de falta de vontade em cumprir com as exigências da organização para melhorar condições das estradas.

“Enviamos uma carta pedido da audiência com ministro dos Transportes e Comunicação (Mamadú Serifo Jaquité), para lhe informar que o memorando está a ser violado a nível do território nacional, mas não surtiu efeito, devido a jogo da competência entre as estruturas que intervém nas estradas, isso mostra clara falta de vontade de cumprir com acordo alcançado”, afirmou Frederico Hopffer.

A segunda paralisação da federação dos motoristas que vai decorrer nos 19, 20 e 21 do mês em curso, vai iniciar após o prazo de 60 dias dado pelos motoristas ao governo para definir as competências e áreas de intervenção das entidades que fiscalizam o trânsito nas estradas no país.

Perante este cenário, Mamadu Conté, secretário-geral da federação, afirma que o organismo vai continuar a sua luta para fazer valer os seus direitos com sucessivas paralisações, que vai culminar com a marcha.

Os motoristas exigem ainda ao governo a construção de um terminal, a definição das competências dos agentes de trânsito e da Guarda Nacional e a criação de uma caixa única para pagamento das multas aplicadas aos condutores que violarem as regras de trânsito.

Durante os três dias não vão circular em Bissau táxis, toca-toca (pequenas carrinhas que transportam pessoas entre o centro da cidade e os bairros da capital) e outro tipo de transportes de passageiros.

Por: Alison Cabral

 

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu