EXECUTIVO GUINEENSE LANÇA AUSCULTAÇÃO SOBRE A ELABORAÇÃO DA VISÃO PÓS-2020 DA CEDEAO

EXECUTIVO GUINEENSE LANÇA AUSCULTAÇÃO SOBRE A ELABORAÇÃO DA VISÃO PÓS-2020 DA CEDEAO

O Executivo da Guiné-Bissau lançou a primeira Auscultação Nacional sobre a Elaboração da Visão Pós-2020 da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), a fim de recolher as contribuições dos cidadãos para criar uma direção e meta transparentes, de forma significativa, para elevar o padrão de vida dos povos da sub-região.

A Visão pós 2020 da CEDEAO, aprovado pelo Conselho de Ministros, na sua octogésima primeira sessão ordinária em Abuja, Nigéria, em dezembro de 2018, se baseia em três pilares: Integração Social e Econômica, Integração Política e Apoio Institucional e de Infraestrutura.

Presidindo a abertura dos trabalhos, esta quinta-feira, 09 de janeiro, num dos hotéis nos arredores do sector de Mansoa, região de Oio, a Secretária de Estado do Plano e Integração Regional, Tomásia Manjuba, diz que o país alinha neste princípio, e num futuro próximo estará em melhores condições para superar as fragilidades e contribuir na realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

“Acredito que, se todos alinharmos neste princípio, a Guiné-Bissau, num futuro próximo, estará em melhores condições para superar as fragilidades e contribuir para uma resiliência sustentável rumo à realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, justificou Manjuba.

Nesta senda, a governante apelou aos participantes no evento a aproveitarem no máximo o tempo consagrado a cada um dos domínios a abordar, no sentido de produzirem bons resultados, que servirão como contribuição do país no processo da Visão Pós-2020 da organização sub-regional.

No entendimento do consultor e politólogo guineense, Rui Landim, com elaboração deste documento vai permitir uma maior aproximação entre os Estados membros da CEDEAO, com destaque para eliminação das fronteiras físicas existentes.

De acordo com Landim, a Visão Pós 2020 vai também permitir reformas institucionais nos Estados membros da organização, nomeadamente nos sectores da justiça e defesa e segurança.

A cerimônia da abertura dos trabalhos contou ainda com a presença do representante residente da CEDEAO na Guiné-Bissau, Blaise Diplo Djomand, que na sua intervenção realçou o engajamento das autoridades guineenses na elaboração deste documento.

A CEDEAO, uma organização intergovernamental criada em 28 de maio de 1975 agrupa 15 Estados (Benim, Burquina Faso, Cabo Verde, Costa do Marfim, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Libéria, Mali, Níger, Nigéria, Senegal, Serra Leoa e Togo) correspondentes a uma superfície de aproximadamente 5 milhões de km², com uma população de quase 320 milhões de habitantes.

Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu