Ex-PM da Guiné-Bissau admite analisar se lhe pedirem que volte a liderar Governo

Ex-PM da Guiné-Bissau admite analisar se lhe pedirem que volte a liderar Governo

O antigo primeiro-ministro guineense, Carlos Gomes Júnior, esta quarta-feira (24.01) analisar a possibilidade de voltar a liderar um governo se for desafiado a fazê-lo e o país precisar dele, embora frisando que não é essa a sua intenção.

“Não é essa a minha intenção. Primeiramente teria que consultar a direção do PAIGC, depois é que tomarei uma decisão”, afirmou o antigo primeiro-ministro, que hoje se reuniu com o líder do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Domingos Simões Pereira.

Regressado ao país na passada quinta-feira, depois de passar os últimos cinco anos entre Portugal e Cabo Verde, depois de ter sido derrubado por um golpe militar, Carlos Gomes Júnior, respondeu assim quando questionado sobre se admite a possibilidade de liderar um futuro governo, na sequência da demissão de Umaro Sissoco Embaló, pelo líder guineense, na semana passada.

Gomes Júnior disse não ter essa pretensão e sublinhou ser antes de tudo um empresário, mas disposto a ajudar o país.

“Se o país precisar de mim um dia, analisarei com os meus parceiros e com a minha família”, declarou Carlos Gomes Júnior.

O encontro entre os dois dirigentes do PAIGC durou pouco mais que 20 minutos, e à saída Gomes Júnior disse aos jornalistas, tratar-se de “uma visita ao presidente do partido” que liderou durante 12 anos.

Afirmou que Domingos Simões Pereira lhe desejou “um bom regresso”, mas que a possibilidade da sua participação no congresso do partido, a realizar entre 30 deste mês a 04 de fevereiro, não foi tema da conversa.

“Não foi abordado nada disso, deixemos as coisas andar”, observou Carlos Gomes Júnior.

Disse que teve sempre um bom relacionamento com os dirigentes do partido que liderou entre 2002 a 2014, mas não sabe responder se existe um mau relacionamento com o atual líder, Domingos Simões Pereira.

“Se vocês entendem que há um mau relacionamento não sei”, frisou.

Depois de se ter encontrado com Domingos Simões Pereira hoje, Carlos Gomes Júnior, indicou que vai reunir-se com o líder do Parlamento, Cipriano Cassamá, na sequência de encontros com o Presidente guineense, José Mário Vaz e com o primeiro-ministro demissionário.

Afastou a hipótese de se encontrar com as chefias militares as quais, disse, se deve deixar que trabalhem nas suas tarefas e reformas internas.

Fonte: Lusa

 

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu