EMBAIXADA DA GUINÉ-BISSAU EM PORTUGAL TEM APENAS UM ‘KIT’ PARA RECENSEAR ELEITORES

EMBAIXADA DA GUINÉ-BISSAU EM PORTUGAL TEM APENAS UM ‘KIT’ PARA RECENSEAR ELEITORES

O embaixador da Guiné-Bissau em Portugal, Hélder Vaz Lopes, lamentou esta terça-feira o prazo para o recenseamento de eleitores guineenses em Portugal, sublinhando que apenas dispõe de um ‘kit’ para o registo biométrico dos cidadãos nacionais.

Numa conferência de imprensa na embaixada portuguesa da Guiné-Bissau, em Lisboa, Helder Vaz assumiu que o prazo para o registo, por ser apertado, coloca em causa a cobertura da totalidade dos eleitores.

“O prazo é insuficiente e o número de ‘kits’ que recebemos – um ‘kit’ – é manifestamente insuficiente”, disse o diplomata, que acrescenta que “seria de todo impossível cobrir o universo eleitoral existente em Portugal”.

Segundo uma das entidades responsáveis pelo recenseamento para as eleições legislativas previstas para 18 de novembro, o Gabinete de Apoio ao Processo Eleitoral (GETAP), há cerca de 5.000 eleitores guineenses em Portugal.

Já Hélder Vaz Lopes afirmou que a previsão dos partidos e de várias associações aponta para os 15.000 eleitores em Portugal.

O embaixador espera que o alargamento, por mais um mês, do período de recenseamento apresentado na semana passada pela ministra da Administração Territorial, Ester Fernandes, permita também prolongar a ação recenseadora em Portugal.

“Inicialmente estava prevista apenas uma semana, seria de segunda-feira até domingo. Nós solicitamos mais prazo”, disse Hélder Vaz Lopes.

Segundo dados apresentados pelo embaixador da Guiné-Bissau em Portugal, desde o início do recenseamento, em 15 de outubro, até ao final de segunda-feira, dia 22, o ‘kit’ biométrico registou 547 guineenses residentes em território português.

O ‘kit’ estará até quarta-feira na Tapada das Mercês, Sintra e voltará à embaixada na quinta-feira, devendo seguir para Odivelas na sexta-feira, onde permanecerá até domingo.

De acordo com o responsável pela Secção Consular, Mário da Silva, o processo está condicionado pela “disponibilização de espaços pelas câmaras municipais”.

O embaixador sublinhou ainda que o kit biométrico deverá ir a outros locais do país, mas “dentro das possibilidades”.

O recenseamento eleitoral na Guiné-Bissau e na diáspora está a ser feito com 150 ‘kits’ doados pela Nigéria.

De acordo com a Comissão Nacional de Eleições (CNE), os trabalhos estão a decorrer “a um ritmo aceitável”, mas o número de ‘kits’ é “insuficiente”.

O número esperado de eleitores na Guiné-Bissau é de 900.000, sendo que, de acordo com os últimos dados, 230.000 (cerca de 25%) já foram recenseados.

Fonte: Lusa

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu