ELEIÇÕES LEGISLATIVAS NA GUINÉ-BISSAU TERÃO LUGAR NA DATA MARCADA

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS NA GUINÉ-BISSAU TERÃO LUGAR NA DATA MARCADA

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Aristides Gomes, voltou a afirmar esta quinta-feira (06.09), que as eleições legislativas serão realizadas a 18 de Novembro de 2018, apesar da morosidade no recenseamento eleitoral.

Em declaração aos jornalistas no aeroporto internacional “Osvaldo Vieira”, em Bissau, de regresso de Nova Iorque, Estados Unidos da América (EUA), Gomes reconheceu as dificuldades financeiras e técnicas relativamente ao processo, mas garantiu que o executivo está a trabalhar como sempre para cumprir com a data do sufrágio.

“Em princípio mantemos essa previsão, vamos tentar acelerar, estamos ligeiramente atrasados. A aceleração só pode ser efetiva com o aumento de eficácia, mas também com o aumento de dispositivo do recenseamento, infelizmente estamos na época de chuva, as condições naturais do nosso país são difíceis. Embora estejamos a trabalhar como sempre, desde o inicio com alguma margem de erro possível, vamos continuar a trabalhar para o dia 18 de Novembro”, argumentou Gomes.

No passado dia 23 do mês de Agosto do ano em curso, o líder do governo guineense abriu oficialmente o recenseamento eleitoral para as eleições legislativas, previstas para 18 de Novembro de 2018. Uma abertura simbólica, pois na prática o recenseamento não começou devido a não chegada dos ‘kits’.

Aos jornalistas, Gomes, revelou que entre hoje ou amanhã (sexta-feira) devem chegar a Guiné-Bissau 150 “kits” da Nigéria para dar  início ao processo de recenseamento eleitoral, que culminará com as eleições legislativas.

“A chegada dos “Kits” pode ser entre hoje ou amanhã, dentro de algumas horas pensamos ter uma parte dos “Kits” para podermos começar a avançar com o processo mais rapidamente”, sublinhou Gomes.

Apesar das diligências que estão ser feitas pelo executivo para cumprir com a data, agora só restam dois meses e alguns dias para a realização do sufrágio, alguns observadores de assuntos políticos, mostram claramente que será impossível realizar as eleições legislativas na data proposta pelo Presidente da República, José Mario Vaz a quando do empossamento de Gomes, como chefe de governo.

O primeiro-ministro guineense é da opinião que o importante para o governo é ter condições para realizar as eleições na data marcada, com total transparência, onde todos guineenses possam recensear e votar.

De referir que a Nigéria emprestou 300 ‘kits’ à Guiné-Bissau, todavia ainda não chegaram ao país devido a questões logísticas. Por outro lado, Timor-Leste destacou uma equipa que vai estar na Guiné-Bissau durante três meses e Cabo Verde vai emprestar ‘kits’ de registo biométrico para que o país possa avançar com o recenseamento.

Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Share on Google+
Google+
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu