DIONÍSIO PEREIRA: PR FALTOU AMOR AO POVO

DIONÍSIO PEREIRA: PR FALTOU AMOR AO POVO

O Secretário-geral da Juventude Africana Amílcar Cabral (JAAC), Dionísio Pereira, afirmou que o Presidente da Republica da Guiné-Bissau, José Mario Vaz, teve muitos momentos baixos durante a sua presidência de quatro anos, devido a falta de experiencia política e falta de amor ao povo guineense.

O Chefe de Estado foi candidato apoiado pelo Partido da Independência da Guiné e Cabo-Verde (PAIGC), nas últimas eleições presidências de 2014, mas entrou em rota de colisão com PAIGC em agosto de 2015, após o derrube do executivo de Domingos Simões Pereira, igualmente líder do partido.

Convidado da rubrica Visão, no programa Noite Jovem, da Rádio Jovem, a comentar a presidência de Mario Vaz, Pereira, reconhece que Vaz foi induzido à erro para derrubar o governo do país, mas também não soube diferençar assuntos pessoais e o da nação.

“Honestamente, a avaliação que eu faço dele, é que (Jomav) não tem experiencia política e certas pessoas aproveitaram desta inexperiência para mostrar lhe caminho errado, mas ele também não tem amor ao povo guineense para entender que acima de tudo o que mais importa é a questão nacional e não pessoal”, argumentou Pereira.

Apesar desta inexperiência que levou a Guiné-Bissau conhecer 7 primeiros-ministros nesta presente legislatura, o líder da juventude do partido liderado por Simões Pereira, entende que nos últimos tempos houve um sinal positivo nas atuações do Presidente da Republica.

Em conferência de imprensa do balanço de quatro anos como Chefe de Estado, Vaz, afirmou que em nenhum momento teve divergência do com atual direção do partido e que nunca teve percepção de que terminou a dupla “Jomav e DSP” (José Mário Vaz e Domingos Simões Pereira) para voltar a governar juntos no país.

Relativamente acusações do Ministério Público de corrupção do governo do líder do PAIGC, nomeadamente o Resgate dos Bancos Comerciais, Pereira, diz que é apenas uma perseguição política no sentido de manipular o povo guineense.

De acordo com o jovem dirigente da organização juvenil do PAIGC, há um documento judicial que diz que falta fundamentos para ouvir Domingos Simões Pereira, no Ministério público.

Nesta entrevista de uma hora no programa noite jovem na rubrica Visão, Pereira, membro do Comité Central e Bureau politico do partido, abordou vários assuntos, nomeadamente a expulsão dos 15 deputados do PAIGC, a sua eleição como secretário-geral da JAAC, sanções as 19 personalidades guineenses, relação entre amizade a juventude de PAIGC e PRS e o ultimo congresso do partido.

Licenciado em Ciência da Computação e mestre em Geologia pela Universidade Federal do Ceará, Pereira, afirmou que o PAIGC vai ganhar as próximas eleições legislativas marcadas para o mês de novembro de 2018.

Natural da Ilha de Orango Grande, Guiné-Bissau, Dionísio Pereira, foi eleito em novembro de 2017, Secretário-geral da JAAC, durante o II Congresso que decorreu sob o lema: “Congresso para a reestruturação e dinamização da JAAC -Reserva segura e combativa do PAIGC é um sinal de mudança no seio dos libertadores”.

Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Share on Google+
Google+
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu