CPLP promete apoio à consolidação da paz e novo Governo da Guiné-Bissau

CPLP promete apoio à consolidação da paz e novo Governo da Guiné-Bissau

Os chefes da diplomacia da CPLP congratularam-se hoje com os desenvolvimentos do processo eleitoral na Guiné-Bissau e com a entrada em funções do novo Governo, que prometeram apoiar.

“Nós vamos trabalhar com a nossa colega ministra dos Negócios Estrangeiros da Guiné-Bissau para a consolidação da paz e sobretudo para que o ciclo político que foi definido seja concluído da melhor forma possível, com as eleições presidenciais previstas para o dia 24 de novembro”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades de Cabo Verde, Luís Filipe Tavares.

O governante falava ao início da tarde, na conferência de imprensa após a XXIV reunião ordinária do conselho de ministros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), que se realizou hoje no Mindelo, ilha cabo-verdiana de São Vicente.

“Acredito que estamos no bom caminho, há um movimento de solidariedade muito grande nos Estados-membros da CPLP em relação a este país irmão, que é a Guiné-Bissau”, disse o chefe da Diplomacia de Cabo Verde, país que assume neste momento a presidência rotativa da comunidade lusófona.

No comunicado final da reunião de hoje, os ministros dos Negócios Estrangeiros ou Relações Exteriores dos nove países que integram a CPLP “congratularam-se com a formação e o início de funções do novo Governo da Guiné-Bissau”.

No mesmo documento, lê-se, saudaram “a marcação da data da eleição presidencial para o dia 24 de novembro de 2019” e “encorajaram os atores políticos a prosseguirem na via do diálogo e do entendimento, por forma a assegurar o regular funcionamento das instituições democráticas do país”.

As eleições legislativas decorreram na Guiné-Bissau em 10 de março, mas o Presidente da República, José Mário Vaz, só indigitou Aristides Gomes como primeiro-ministro quase quatro meses mais tarde e depois de ter recusado nomear para o cargo Domingos Simões Pereira, líder do PAIGC (Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde), vencedor das eleições.

O novo Governo foi nomeado a 03 de julho, quase quatro meses depois das eleições legislativas, e no último dia do prazo dado pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

LUSA

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

This Post Has One Comment

  1. A Guiné Bissau esta em paz desde a sua independência de luta contra colonialismo português!!!!!!! O que acontece hoje no pais é conflito politico entre os partidos políticos alimentados pelo neocolonialismo português!!!! o objectivo é de continuar a servir dos valores dos nossos recursos natural aos bens estar deles!!!!!!

Deixe uma resposta

Close Menu