CIPRIANO CASSAMÁ:“PREÇO DA COMERCIALIZAÇÃO DA CASTANHA DE CAJU É DA COMPETÊNCIA DO GOVERNO”

CIPRIANO CASSAMÁ:“PREÇO DA COMERCIALIZAÇÃO DA CASTANHA DE CAJU É DA COMPETÊNCIA DO GOVERNO”


O primeiro vice-presidente do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Cipriano Cassama, foi a leste do país explicar aos populares que não é da competência do Presidente da República fixar o preço da comercialização da castanha de caju, principal produto da exportação da Guiné-Bissau, mas sim do Governo.

Em 2018, o Presidente da Republica, José Mário Vaz fixou o preço de referência de compra do caju no produtor em 1.000 FRANCOS CFA, uma decisão que terá comprometido a campanha.

Falando este domingo, 20 de Janeiro de 2019, no encontro coma comunidade do sector de Ganadú, região de Bafatá do país, para assinalar os 46 anos do assassínio, Cassama fez lembrar a José Mário Vaz que o executivo só anuncia o preço depois reunir-se com os parceiros do sector.

“É o governo que tem a responsabilidade de fixar o preço do produto, após discutir com os seus parceiros no sentido de reter um preço de referência, mas não é da competência de presidente do parlamento ou do Presidente da República”, argumentou Cassama.

A ocasião serviu para Cassamá anunciar que caso o PAIGC vença as próximas eleições legislativas agendadas para 10 de março, o partido vai criar condições para uma boa comercialização da castanha de caju.

Durante a sua longa intervenção, Cassamá, revela que o PAIGC tem um programa de governação, através do Plano Estratégico Operacional “Terra Ranka” para acabar com a pobreza na Guiné-Bissau.

Igualmente líder do Parlamento guineense, Cipriano Cassamá foi acompanhado nesta sua deslocação a leste do país por vários dirigentes do partido, incluindo a Suzi Barbosa, que é candidata a deputado da nação no sector de Ganadú.

A Guiné-Bissau vive uma crise política desde 2015, na sequência da demissão do primeiro-ministro Domingos Simões Pereira, líder do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), que venceu as legislativas de 2014.

Por: Alison Cabral e Djibril Culubali

Deixe uma resposta

Close Menu