CINCO MILITANTES DO PAIGC FORAM ESPANCADOS PELA PIR

CINCO MILITANTES DO PAIGC FORAM ESPANCADOS PELA PIR

Cinco militantes do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) foram espancados e detidos pela Polícia de Intervenção Rápida (PIR) na sequência do incidente desta madrugada na sede do partido, disse esta terça-feira (30.01) a Rádio Jovem o Presidente da Liga guineense dos Direitos Humanos.

Segundo Augusto Mário da Silva alguns detidos apresentam ferimentos aparentemente ligeiros que precisam de cuidados médicos.

Em declaração a nossa estação emissora após visitar os militantes em causa, Mário da Silva, revelou que recebeu garantias do Comissariado Nacional da Polícia de Ordem Pública (POP) de que nas próximas horas vai soltar os indivíduos em causa.

“Acabamos de visitar os militantes detidos na sequência da intervenção policial e confirmamos a detenção de cinco pessoas, um deles é mulher e no momento antes da detenção segundo a explicação que recebemos houve espancamento por parte das autoridades. Mas apesar disso, recebi a garantia por parte do Comissariado Nacional que vai soltar estas pessoas ainda esta terça-feira”, declarou Mário da Silva.

O activista e dirigente máximo da organização que defende os direitos humanos no país revelou ainda que a liga está a averiguar se alguns desses detidos foram espancados dentro da instalação da sede do PAIGC ou não, apesar de dois deles confirmarem que estavam no interior da sede.

Perante este facto, Augusto Mário da Silva, revelou que a Liga guineense dos Direitos Humanos, vai continuar a averiguar se na verdade houve invasão ou violação da sede do PAIGC.

Questionado sobre a decisão do ministério do Interior em bloquear o acesso à sede do partido liderado por Domingos Simões Pereira, Mário da Silva, considera a situação de vergonhosa e lamentável.

“Esta situação é de tristeza total, é de lamentar mais um episódio vergonho que está a acontecer no nosso país, que está a minar cada vez mais a democracia e o estado de direito, apesar de não querermos emitir juízo de valores sobre o que está acontecer neste momento na Guiné-Bissau. Neste sentido, esperamos que as pessoas vão ganhar consciência, privilegiando o diálogo como forma de resolver o problema”, argumentou o Presidente da Liga guineense dos Direitos Humanos.

De acordo com Augusto Mário da Silva, no estado de direito democrático é a lei que prevalece e não a vontade pessoal de um indivíduo.

Segundo um correspondente da DW, por volta das 20h00, as forças de segurança expulsaram todas as pessoas que se encontravam perto da sede do PAIGC, na Praça dos Heróis Nacionais, e começaram a patrulhar as ruas que dão acesso ao local, pedindo identificação a quem fosse passar.

Um membro do partido, que estava a filmar a intervenção da PIR com o telemóvel, foi agredido, desmaiou e, entretanto, foi levado para o hospital, de acordo com testemunhas.

Segundo apurou uma equipa de reportagem da Rádio Jovem que esteve nas imediações da Praça dos heróis nacionais, a força da Polícia de Intervenção Rápida (PIR), bloqueiou por completo os acessos que dão entrada a sede do PAIGC.

O incidente aconteceu na véspera do IX congresso do partido, cujo início estava marcado para tarde de terça-feira (30.01) aqui em Bissau, concretamente na sede do PAIGC.

// Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu