CEDEAO LEVANTA SANÇOES DOS 19 PERSONALIDADES DA GUINE-BISSAU

CEDEAO LEVANTA SANÇOES DOS 19 PERSONALIDADES DA GUINE-BISSAU

Os Chefes de Estados da Comunidade Económica do Estados da África Ocidental (CEDEAO), decidiram levantar as sanções impostas contra 19 individualidades guineenses entre as quais o filho do Chefe de Estado, José Mario Vaz, Herson Gougjabi Vaz, à margem da Cimeira da CEDEAO, que decorreu em Lomé, capital do Togo.

A informação foi transmitida à imprensa esta noite de terça-feira (31.07), no aeroporto internacional “Osvaldo Vieira, em Bissau, pelo Presidente da República da Guiné-Bissau, na qual reconhece que não foi fácil convencer os seus pares, mas contudo realça que só foi possível graças ao trabalho de todos os guineenses.

“Felizmente conseguimos, foi muito duro, foi muito difícil, foi ardo, desde domingo até hoje, que traduziu nos encontros bilaterais, encontros não bilaterais, relações da amizade, tudo foi possível para que hoje possamos dizer que a partir de hoje não há sancionados na Guiné-Bissau”, explicou Mário Vaz.

Visivelmente satisfeito com a decisão do bloco regional, Mário Vaz revela que também que o acordo alcançado para formar o actual governo liderado por Aristides Gomes, que permitiu reabertura do parlamento guineense pesou na decisão dos líderes da CEDEAO.

Perante o cenário, Vaz apelou a classe política guineense para não deixar cair na tentação de criar imagens negativas para a Guiné-Bissau.

De referir que para além do filho do Chefe de Estado, os restantes sancionados eram Braima Camará, Rui Dia de Sousa, Soares Sambu, Abel da Silva Gomes, Manuel Nascimento Lopes, Eduardo Mamadu Balde, Maria Aurora Abissa Sano, todos deputados expulsos do PAIGC.
Mas ainda o secretário-geral do Partido da Renovação Social (PRS), Florentino Mendes Pereira, o vice-presidente do mesmo partido, Orlando Mendes Viegas, o líder do grupo parlamentar do PRS, Certório Biote, e o dirigente da mesma formação política, Domingos Quade, Carlitos Barai e Domingos Malu.

Estavam também na lista o antigo Procurador-geral da República António Sedja Man e o actual titular deste órgão, Bacari Bia, Botche Cande, Victor Madinga e Fernando Vaz.

Relativamente ao processo eleitoral do Novembro próximo que está deparar com défice de cerca de 3 milhões de euros para fechar o orçamento do escrutínio, Vaz, revela que UEMOA e a CEDEAO assumiram disponibilizar a restante verba para que a eleição tenha lugar na data marcada.

“O défice esta coberto pela UEMOA e pela CEDEAO. O UEMOA vai dar a contribuição de 1 milhões de dólares e o bloco regional vai fechar o défice com 1,5 milhões de dólares, apesar não vai conseguir fechar a totalidade o orçamento porque há muito trabalho durante o processo eleitoral”, sublinhou Vaz. Ocasião serviu para o Chefe de Estado, voltou apelar aos cidadãos guineenses a participarem no recenseamento eleitoral para as eleições legislativas de novembro próximo, que vai decorrer entre 23 de Agosto a 23 de Setembro de 2018 no país.

De relembrar que o encontro que decorreu em Lomé, capital do Togo esta segunda-feira (30.07), foi dominado pela paz e segurança na primeira cimeira conjunta entre chefes de Estado e de governo dos 26 países membros das organizações regionais CEDEAO e CEEAC (Comunidade Económica dos Estados da África Central).

O objectivo desta cimeira é reforçar a cooperação entre os países membros nas áreas da paz, segurança e estabilidade, estabelecer as bases para ações concertadas face a desafios comuns, a criação de uma plataforma para troca de informações e a criação de um ambiente propício, para que em caso de assinatura de acordos ser cada vez mais difícil aos signatários violá-los.

Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu