Candidato do PAIGC às presidenciais pede unidade e reconciliação aos guineenses

Candidato do PAIGC às presidenciais pede unidade e reconciliação aos guineenses

O presidente e candidato do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) às eleições presidenciais da Guiné-Bissau, Domingos Simões Pereira, pediu hoje reconciliação aos guineenses e prometeu promover a unidade nacional.

“Estou aqui como candidato do PAIGC para ser eleito a 24 de novembro Presidente de todos os guineenses, sem discriminação”, afirmou Domingos Simões Pereira, no lançamento da sua candidatura no Espaço Verde, em Bissau, perante milhares e apoiantes.

“Temos de nos reconciliar, temos de ser capazes de nos reencontrar e promover a unidade nacional”, sublinhou o antigo primeiro-ministro do país, demitido em 2015 pelo atual chefe de Estado, José Mário Vaz, depois de o PAIGC ter ganhado as eleições legislativas de 2014.

No palco, acompanhado por vários membros do atual Governo guineense, incluindo o primeiro-ministro, Aristides Gomes, e por dirigentes do partido, Domingos Simões Pereira prometeu que não vai demitir nenhum Governo, eleito democraticamente pelos guineenses.

“O Presidente deve ser o primeiro a promover consenso, diálogo e entendimento”, afirmou.

Domingos Simões Pereira, cujo partido venceu as legislativas de março passado na Guiné-Bissau e que viu José Mário Vaz recusar o seu nome para primeiro-ministro, prometeu também que, se for Presidente, o Palácio da Presidência vai estar aberto à população.

“Se for eleito Presidente da República vou continuar a ser o mesmo Domingos, o mesmo DSP [iniciais do seu nome e forma como é tratado na Guiné-Bissau]. Aquela casa é o símbolo da nossa unidade, da nossa existência enquanto Nação”, disse.

O candidato afirmou também que, enquanto Presidente, pretende chamar a atenção do Governo e falar a favor das mulheres, crianças e idosos.

É preciso “virar a página na Guiné-Bissau”, pediu aos seus apoiantes.

LUSA

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

This Post Has One Comment

  1. É um homem inteligente, mas para mim não é bom momento de DSP ser presidente da republica porque ta com odio e vingança que pelos menos o nosso país nao quis ouvir nesse momento.

Deixe uma resposta

Close Menu