BACIRO DJA: “SOU UM HOMEM MUITO MAIS SERIO DO QUE O CHEFE DE ESTADO, JOSE MARIO VAZ”

BACIRO DJA: “SOU UM HOMEM MUITO MAIS SERIO DO QUE O CHEFE DE ESTADO, JOSE MARIO VAZ”

O antigo primeiro-ministro, Baciro Dja, afirmou esta sexta-feira (06.07) que é um homem sério e talvez mais sério que o próprio Presidente da República, José Mário Vaz.

Djá reagia, assim, às acusações de que está a ser alvo por Mário Vaz em como terá desviado quinhentos milhões de francos Cfa, que recebeu deste em 2016 e que seriam utilizados para a construção da Avenida que seria baptizada com o nome do ex-Presidente João Bernardo Vieira “ Nino Vieira”.

Em entrevista conjunta aos órgãos de comunicação social nacional e internacional, no âmbito dos quatro anos a da sua presidência, Presidente da República, José Mário Vaz, negou que não recebeu nenhum cheque do Baciro Djá, tendo pedido a este que o devolva  

Hoje, 6 de Julho, o ex-Primeiro-ministro foi ouvido pelo Ministério Público e à saída Baciro Djá revela que o montante em causa foi depositado, na altura, na conta do tesouro público do país.

“Porque de facto “Jomav”, como é conhecido o Chefe de Estado, sabe que eu sou um homem sério e talvez muito mais sério que o próprio Presidente da República. Posso confirmar-se isso, porque nunca roubei 1000 francos Cfa ou um 1 euro do estado da Guiné-Bissau”, argumentou Dja.

Contudo, Dja fez lembrar ao Mário Vaz que o cheque não é manga que pode comer ninguém sabe, porque os cheques sempre deixam os traços.

Aos jornalistas, Baciro Dja convidou a toda a classe politica a enfrentar a justiça, como forma de moralizar o Estado guineense.

“O servidor público precisa de facto ter condição moral e ética para estar a frente do povo guineense, por isso, convido os meus amigos e camaradas políticos para fazerem isto que eu fiz hoje, porque é preciso de facto moralizar o estado.

De recordar que recentemente o Chefe de Estado instou ao antigo governante para apresentar as provas da entrega desse cheque que foi entregue na presença da comunicação social do país no palácio da república, apesar de Djá ter afirmado que devolveu o cheque ao Presidente da República.

Em relação ao seu futuro político, Baciro Djá não avança se vai ou não às eleições legislativas de Novembro, apoiando numa formação política, anuncia que brevemente que o seu futuro político será conhecido através de uma nova formação política denominada “Frente Patriótica da Salvação Nacional”, com objetivo de moralizar o Estado da Guiné-Bissau.

Convidou, contudo, a todos os guineenses a abraçarem este novo projecto político que, segundo disse, já depositou todos os documentos necessários no Supremo Tribunal da Justiça (STJ).

Questionado pela imprensa a comentar Movimento para a Alternância Democrática – G 15 (MADEM – G 15), que agrupa quase todos os deputados dissidentes da bancada parlamentar dos libertadores, Dja escusou-se a pronunciar sobre assunto.

De recordar que o antigo chefe de executivo é um dos quinze dirigentes expulsos do PAIGC, pelo Conselho Jurisdicional daquela formação política, por terem quebrado a disciplina partidária ao optar pela abstenção na votação da moção de confiança ao Programa de Governo apresentado por Carlos Correia ao parlamento, a 23 de Dezembro de 2015.

Por: Alison Cabral(AC)

Imagem: AC

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu