BACIRO DJA ELEITO CONFIRMADO O LÍDER DA FRESPASNA

BACIRO DJA ELEITO CONFIRMADO O LÍDER DA FRESPASNA

O antigo primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Baciro Djá, foi confirmado esta segunda-feira (13.08), como presidente da Frente Patriótica de Salvação Nacional (FRESPASNA), no primeiro Congresso Ordinário desta nova formação política guineense, para um mandato de quatro anos.

Num universo de 1 005 delegados presente no Congresso que decorreu na região de Biombo, sector de Prabis, sob-lema: “Moralização do Estado e Resgate da Ética Política”, Dja que era o único candidato a liderança da FRESPASNA, obteve 941 votos à favor, quatro nulos. 56 Delegados inscritos não compareceram ao Congresso.

Na sua declaração após a consagração, Dja realçou a confiança dos militantes do partido na sua pessoa e assegura que a Guiné-Bissau precisa de mudança no sentido de moralizar o Estado e resgatar a ética política, mas sobretudo devolver a esperança ao povo guineense.

“Entendemos que a Guiné-Bissau precisa de mudança, porque a maioria dos delegados presentes no congresso são jovens e mulheres, pessoas que estão cansados com a classe politica guineense, pessoas que fizerem confiança na nossa pessoa para podermos de facto edificar a Nação, dar esperança ao povo guineense, um povo materializado, um povo que merece viver e melhor, porque o país tem todas as condições necessárias para sair nesta situação”, argumentou Dja.

De acordo com o político dissidente do Partido da Independência da Guiné e Cabo-Verde (PAIGC), a FRESPASNA surgiu para concretizar os sonhos dos combatentes da liberdade da pátria, que é trazer bem-estar e o progresso para povo guineense.
Aos jornalistas, Djá revelou que está em condições de assumir as rédeas de governação depois das eleições legislativas do Novembro próximo no sentido de valorizar o cidadão que perdeu a confiança na classe política do país.

O partido fundado no mês de Março de 2018, vai apresentar-se nas eleições legislativas de 18 Novembro, sob liderança de Dja, um dos quinze dirigentes expulsos do PAIGC em 2016, por terem quebrado a disciplina partidária ao optar pela abstenção na votação da moção de confiança ao Programa de Governo apresentado por Carlos Correia ao parlamento.

Formado em Psicologia, com formação em Cuba e França, o político foi líder do executivo entre 20 de Agosto a 17 de Setembro de 2015, e mais tarde 27 de Maio a 18 de Novembro de 2016.

Recordar que o primeiro Congresso que decorreu entre sábado e domingo, concretamente no Ilhéu de Gardete, contou com os representantes das outras formações, com destaque para o Partido da Renovação Social (PRS).

Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu