BACIRO DJA: “ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DE 24 DE NOVEMBRO FICARAM MARCADO PELOS ASPECTOS TRIBAL, ÉTNICO E RELIGIOSO

BACIRO DJA: “ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DE 24 DE NOVEMBRO FICARAM MARCADO PELOS ASPECTOS TRIBAL, ÉTNICO E RELIGIOSO

O candidato suportado pela Frende de Salvação Nacional(FREPASNA), Baciro Djá, afirmou que os resultados das eleições presidenciais da Guiné-Bissau, no domingo último, mostram claramente que o escrutínio foi tribalisado no aspecto étnico e religioso, embora não apontou dedo ao candidato que beneficiou desta pratica.

“Quando se faz uma análise sociológica nota-se claramente que foi um processo que foi trabalisado no aspecto étnico e religioso. Esta situação é grave para a democracia e consolidação de um estado de direito democrático, que é a Guiné-Bissau”, afirmou Baciro Djá.

Num encontro com a imprensa, esta sexta-feira, 29 de novembro de 2019, num dos hotéis da capital Bissau, Djá diz que na Guiné-Bissau deve prevalecer mérito para chegar ao poder, não através do tribalismo, fundamentalismo ou pessoas que invocam as questões como muçulmanos ou cristãos durante a campanha eleitoral.

Além dos aspectos étnicos e religiosos, o candidato e líder da FREPASNA considera que as eleições presidenciais de 24 de novembro não foram transparente, justo e credíveis, porque os números dos eleitores apresentados pela Comissão Nacional de Eleições(CNE) não corresponde com os números que foram apresentados no dia do ato eleitoral, no domingo último.

Dja, que foi primeiro-ministro da Guiné-Bissau, revela que houve discrepância enorme entre a base dos dados das eleições legislativas e presidenciais, por isso, é fundamental esclarecer esta situação em nome da estabilidade política do país.

Baciro Djá alega também que no dia do processo eleitoral, os delegados à mesa de voto foram presos na região de Biombo, norte da Guiné-Bissau, pelas autoridades policiais, sem uma justificação e pede esclarecimento ao Ministro do Interior, Juliano Fernandes.

Durante a sua explanação perante os dirigentes e militantes do seu partido, Djá felicitou Domingos Simões Pereira e Umaro Sissoco Embaló pela passagem à segunda volta das presidenciais.

A saída do encontro, em breve declaração a imprensa, Baciro Dja diz que foi mandatado pelo partido a negociar com os dois concorrentes à segunda volta sobre um eventual apoio.

A 29 de dezembro, os guineenses vão novamente às urnas para eleger o futuro chefe de Estado. Será a terceira votação no país este ano. Os dois candidatos mais votados nas sétimas eleições presidenciais realizadas na Guiné-Bissau, no passado domingo, dia 24, vão disputar a segunda volta do pleito, para escolher o sucessor do Presidente derrotado, José Mário Vaz.

Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu