Aristides Gomes garante que eleições se realizam na data prevista

Aristides Gomes garante que eleições se realizam na data prevista

No Conselho de Segurança da ONU, primeiro-ministro guineense apelou ao desbloqueamento de fundos prometidos e garantiu eleições na data prevista apesar dos “desafios”.

Em Nova Iorque, perante o Conselho de Segurança da ONU, Aristides Gomes apelou à comunidade internacional para que os fundos que já foram prometidos para as eleições fossem desbloqueados pois, para já, o país está sozinho na preparação do pleito eleitoral.

“Quero aproveitar desta reunião do conselho de Segurança para agradecer de forma muito calorosa a todos os países e instituições na comissão da CEDEAO, da União Económica e monetária da África Ocidental, em particular, que garantiram a disponibilização de fundos em termos de promessa, porque, até agora, ainda não foram desembolsados”, disse.

O embaixador brasileiro Mauro Vieira, presidente da Configuração da Comissão de Construção da Paz na Guiné-Bissau também sublinhou a urgência da disponibilização de fundos, especialmente, numa altura de recenseamento eleitoral. O embaixador referiu ainda que os avanços na situação guineense têm sido percetíveis:

“A minha missão confirmou que houve progressos concretos na implementação do acordo de Conacri e no processo de regresso a uma vida política normal, comparando com o ano anterior, quando visitei o país pela primeira vez”, afirmou Mauro Vieira.

Eleições vão decorrer na data prevista

Aristides Gomes reconheceu que o país é confrontado com numerosas dificuldades para realizar as eleições, mas assegurou que vai fazer tudo para que se realizem na data prevista de 18 de novembro.

Antes do discurso do primeiro-ministro guineense, José Viegas filho, enviado Especial das Nações Unidas à Guiné-Bissau também já tinha afirmado acreditar que a data seria cumprida.

“É agora mais provável do que há algumas semanas que as eleições legislativas vão acontecer, como marcado, no dia 18 de novembro”. José Viegas Filho reiterou ainda a importância de um processo eleitoral bem-sucedido para “a consolidação da estabilidade a longo prazo”.

O representante da ONU também concorda que a preparação das eleições legislativas de 18 de novembro enfrenta desafios, como o atraso dos ‘kits’ biométricos, prometidos pela Nigéria, Cabo Verde e Timor Leste.

José Viegas Filho acrescentou ainda que reformas a longo termo permanecem cruciais para evitar um regresso à instabilidade e garantiu que o Gabinete Integrado das Nações Unidas para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau vai continuar a apoiar o Governo guineense.

//DW

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu