ARISTIDES GOMES: “A PRODUÇÃO DA ELETRICIDADE È FUNDAMENTAL PARA A CRIAÇÃO DAS CONDIÇÕES PARA INVESTIMENTO PRODUTIVO NO PAÍS”

ARISTIDES GOMES: “A PRODUÇÃO DA ELETRICIDADE È FUNDAMENTAL PARA A CRIAÇÃO DAS CONDIÇÕES PARA INVESTIMENTO PRODUTIVO NO PAÍS”

O primeiro-ministro guineense, Aristides Gomes, afirmou esta segunda-feira (16.07), que a produção da eletricidade é fundamental para a criação das condições para investimento produtivo na Guiné-Bissau.

A garantia foi dada a margem da reunião setorial de Peritos da Comunidade de Doadores, para apresentar e partilhar os seus objetivos para o setor da eletricidade, bem como o quadro de desenvolvimento de infraestruturas a nível nacional e sub-regional, em Bissau.

Presidindo a cerimônia de abertura dos trabalhos num dos hotéis da capital, Gomes, revela que dada a fragilidade estruturais que o setor da energia apresenta, o executivo tem um plano para melhoria da gestão da única empresa da eletricidade do país.

“É nesta perspetiva que nós damos uma importância de vida a esse sector em que se concentram todos os problemas ligados ao desenvolvimento sustentável do nosso país.

A eletricidade do nosso país é a mais cara de toda zona subsariana, daí a necessidade de nós revertemos a situação”, explicou Gomes.
O executivo está empenhado em empreender as reformas necessárias para reduzir os custos de produção e melhorar a qualidade do serviço de eletricidade para a população, nomeadamente através da reforma na gestão empresa da Eletricidade e Agua da Guiné-Bissau (EAGB), da redução dos custos de produção e aceleração dos principais investimentos nas infraestruturas de transmissão e distribuição de energia elétrica em curso.

Neste sentido, o líder do governo apelou os doadores presentes no encontro que cada um defina a sua área específica de intervenção no sentido de ajudar o país ter estruturas adequadas para uma produção de energia a um custo razoável que possa permitir a Guiné-Bissau ser concorrencial no quadro da procura do investimento para transformação da economia do país.

Estes parceiros estão envolvidos em vários projectos para assegurar a reabilitação e desenvolvimento da infra-estrutura de produção e distribuição de energia eléctrica em Bissau, capital do país e as outras cidades.

O setor enérgico é um dos pilares fundamentais para os objetivos de Desenvolvimento Sustentável para o horizonte 2025, identificado na Estratégia de Desenvolvimento do país- “Terra Ranka”. Durante vários anos o setor de eletricidade tem enfrentado um défice persistente devido a uma série de fatores que dificultam o compromisso do executivo para alcançar esses objetivos.
De recordar que recentemente um relatório do Tribunal de Contas divulgado em Março, apontava para graves irregularidades na gestão de várias empresas e instituições públicas guineenses, entre as quais a ARN e a EAGB.
Por: Alison Cabral

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu