Antigo Presidente de transição da Guiné-Bissau Serifo Nhamadjo disponível para presidenciais

Antigo Presidente de transição da Guiné-Bissau Serifo Nhamadjo disponível para presidenciais

O antigo Presidente de transição da Guiné-Bissau Serifo Nhamadjo disponibilizou-se hoje para participar nas eleições primárias do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), para escolher o candidato às presidenciais de novembro.

Serifo Nhamado garantiu, em conferência de imprensa, que se perder nas eleições primárias do PAIGC, que deverão ter lugar nos próximos dias, através de uma reunião do Comité Central do partido, irá apoiar quem for escolhido.

Presidente de transição da Guiné-Bissau, entre 2012 e 2014, na sequência de um golpe de Estado militar, Serifo Nhamadjo, de 61 anos, disse ter falado da disponibilidade de se apresentar às primárias com o atual líder do partido, Domingos Simões Pereira, na sexta-feira, depois de ter manifestado, em carta, a mesma intenção.

Serifo Nhamadjo aproveitou para desmentir informações de que estaria ser alvo de traição por parte de Domingos Simões Pereira, que lhe teria prometido apoio para a corrida presidencial.

“São falsas essas informações. O presidente do partido nunca me prometeu nada nesse sentido. Não há traição nenhuma”, afirmou, pedindo apenas transparência no processo das eleições primárias do PAIGC, para que o vencedor seja consagrado sem suspeitas.

Serifo Nhamadjo não gostaria de ver nas instâncias que estão a preparar as primárias do seu partido, por exemplo, o próprio Domingos Simões Pereira e Francisco Benante, presidente da comissão de jurisdição do PAIGC, por serem, disse, prováveis candidatos às escolhas no Comité Central.

“Era como se colocássemos [Frederico] Varandas como árbitro num jogo entre o Sporting e o Benfica. Em caso de vitória do Sporting isso poderia suscitar suspeitas. Mesmo que o Sporting tenha vencido com mérito. O elemento de dúvida antecipada mancha qualquer vitória”, notou.

O político guineense disse pretender ser o próximo Presidente por ser “das poucas pessoas com capacidade para fazer a ponte” entre as várias franjas da sociedade hoje desavinda.

“Os meus melhores amigos são sportinguistas e como se sabe eu sou benfiquista”, explicou Serifo Nhamadjo, fazendo referência às conversas que sempre tem de cada vez que se encontra com Domingos Simões Pereira, um conhecido sportinguista.

O antigo chefe de Estado de transição notou que pretende ajudar na estabilização da Guiné-Bissau, tendo em conta a experiência política acumulada, mas, sobretudo, pelo trabalho desenvolvido nesse sentido na sequência do último golpe militar no país.

Se não merecer a confiança dos militantes no Comité Central (órgão máximo entre Congressos), Nhamadjo prometeu apoiar o escolhido, mas disse acreditar que reúne condições para ser “um bom candidato e um bom Presidente” da Guiné-Bissau e que não olhará apenas para o PAIGC.

LUSA

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

This Post Has One Comment

  1. Até golpistas querem ser presidente da República!!!!

Deixe uma resposta

Close Menu