“ANGOLA PROMETE RETOMAR COOPERAÇÃO COM A GUINE-BISSAU”

“ANGOLA PROMETE RETOMAR COOPERAÇÃO COM A GUINE-BISSAU”

O Embaixador de Angola, disse esta quarta-feira (20 de Setembro de 2017) que a retoma da cooperação entre Angola e a Guiné-Bissau depende muito da estabilização política no país para retomar os projetos com o executivo guineense, entre os quais o da exploração de Bauxite.

“Nós temos estado a estabelecer contatos com autoridades guineenses desde que haja estabilidade política para que o nosso projeto seja retomado. A exploração de Bauxite é um dos nossos projetos, por isso temos a perspectiva de retomar este projeto, mas tudo esta dependente da situação na Guiné-Bissau”, declarou Daniel António Rosa.

António Rosa, reconhece a morosidade no processo de retoma da cooperação na sequência do Golpe de Estado de 2012 no país, mas acredita que com a investidura de João Lourenço, o governo de angola irá agora centrar a sua atenção nos dossiês de cooperação com a Guiné-Bissau.

O diplomata angolano falava a imprensa depois de um encontro com o Presidente da Republica, para entregar o convite formal para cerimônias de tomada de posse do Presidente eleito de Angola, João Lourenço, que se vão realizar no dia 26 do mês em curso.

Na ocasião, Daniel António Rosa, mostrou-se confiante que os atores políticos guineenses irão encontrar uma solução para estabilizar a Guiné-Bissau no sentido de permitir investimentos de parceiros do desenvolvimento, como é o caso de Angola.

“Quando existe programação execução dos parceiros na Guiné-Bissau pode haver sempre constrangimento e essa situação deve ser resolvida nos parâmetros legais e temos confiança que a Guiné-Bissau vai encontrar uma estabilidade, porque temos solicitado aos atores políticos guineenses que devem focalizar a sua atenção sobretudo em encontrar soluções políticas para que haja desenvolvimento económico e social”, rematou diplomata angolano com residência em Bissau.

Neste encontro com a imprensa nacional no Palácio da Republica, o diplomata Angolano, anunciou ainda que qualquer retoma de cooperação entre Bissau e Luanda irá passar pela realização da segunda comissão mista bilateral que terá lugar em Angola, mas sem data definida.

Segundo Daniel António Rosa, neste encontro na capital angolana poderá ser redefinido os projetos de prioridades de cooperação entre os dois países, entre os quais a exploração de Bauxite e a cooperação militar.

A primeira comissão mista bilateral da cooperação entre Angola e a Guiné-Bissau teve lugar em Bissau em 2007.

De recordar que Angola mandou retirar no país, em 2012, cerca de 300 militares que tinha em Bissau no âmbito da Missang (Missão de apoio à reforma das Forças Armadas da Guiné-Bissau) ao abrigo da qual Luanda iria recuperar e construir casernas para os soldados.

A retirada da missão, exigida pelas então chefias do exército, deu-se dois meses depois de então chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas do país, António Indjai, ter liderado um golpe de Estado contra os poderes eleitos.

 

//Alison Cabral

 

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu