ANGELO REGALLA SAÚDA LEVANTAMENTO DAS SANÇOES AS PERSONALIDADES GUINEENSES

ANGELO REGALLA SAÚDA LEVANTAMENTO DAS SANÇOES AS PERSONALIDADES GUINEENSES

O presidente cessante da União para Mudança (UM), saudou esta sexta-feira (03.08), o levantamento das sanções as 19 personalidades da Guiné-Bissau, que incluía vários atores políticos próximos do Presidente guineense, pela Comunidade Económica do Estados da África Ocidental (CEDEAO), à margem da Cimeira da organização, que decorreu em Lomé, capital do Togo na segunda-feira (30.07).

Regalla diz que as sanções devem servir como elemento de reflexão não só para aqueles que foram sancionados, mas para toda classe política do país.

O líder da União para Mudança falava aos jornalistas à margem da primeira Convenção da Juventude da União para Mudança (JUM), que decorreu hoje nas instalações do polivalente da escola nacional de educação física e desporto (ENEFD), em Bissau, na qual relembrou que não pode fazer a política sem regras, sem princípio e sem valores.

“É nessa base que nós pensamos que saudamos o levantamento das sanções, mas apelamos a responsabilidade de todos e engajamento patriótico de todos os atores, porque a Guiné é de nós todos e deve servir a todos os guineenses”, vincou Regalla.

O anunciou do levantamento das sanções das personalidades foi feito pelo Presidente da Republica, José Mario Vaz no aeroporto internacional “Osvaldo Vieira, após a sua participação na cimeira, onde reconhece que não foi fácil convencer os seus pares da CEDEAO.

Relativamente a Convenção da juventude que vai culminar com a realização do IV Congresso Ordinário do partido, o líder cessante assegura que UM promete criar uma juventude forte, unida, coesa e capaz de agir na política com maior elevação, com participação das mulheres e jovens.

“Nós queremos de facto criar uma juventude sentido, capaz, de facto, de agir na política com maior elevação, com melhor qualidade, com a participação das mulheres e jovens que possam dar um sentido patriótico a política e não um sentido de oportunismo político, no sentido de aproveitamento e corrupção”.

Questionado pela imprensa se vai recandidatar-se, o político mostrou-se disponível a continuar a dirigir o partido, embora para tal deve merecer a confiança dos militantes e dirigente do partido.

No seu discurso na abertura dos trabalhos, Regalla, apelou a camada feminina para que não se mantenha encantoada nas organizações não-governamentais e se envolva de forma determinada com os homens na vida política partidária, como forma da sua afirmação e da conquista dos seus direitos.

O apelo do político, acontece um dia depois do parlamento guineense aprovou, a lei da quota no hemiciclo com 36% contra 40%, inicialmente reclamados pelas mulheres da Guiné-Bissau.

O documento vai obrigar os partidos políticos a incluir mulheres nas listas de candidaturas para cargos eletivos como forma de criar condições para que as mulheres possam ter oportunidades.

Por: Alison Cabral
Foto: AC

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Share on Google+
Google+
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu