Acabaram entradas na função pública na Guiné-Bissau por cor partidária – ministra

Acabaram entradas na função pública na Guiné-Bissau por cor partidária – ministra

A ministra da Administração Pública da Guiné-Bissau disse hoje que acabaram as entradas na função pública do país por cor partidária ou por ser filho ou amigo de ministros, passando a fazer-se por “concurso livre e transparente”.

“A entrada na administração pública hoje não é por cor partidária, isso acabou, não é por ser filho ou amigo da ministra da Administração Pública, isso acabou, nem do primeiro-ministro, nem do Presidente da República”, afirmou Fatumata Djau Baldé.

A ministra falava no final da assinatura de um despacho conjunto com a ministra da Justiça guineense, Ruth Monteiro, para a formação de 70 notários e conservadores para ingressarem, mediante concurso público, no Estado guineense.

“A entrada a partir de agora na administração pública é através de concurso livre, justo e transparente conforme a capacidade de cada um”, sublinhou a ministra.

Segundo Fatumata Djau Baldé, a administração pública guineense “pertence a todos” e todos devem poder ter acesso.

“Eu garanto que todos os concursos que vão ser feitos serão concursos transparentes e na base de termos de referência bem definidos. Quem apresentar aptidões será obviamente recrutado”, concluiu.

LUSA

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu