A comemoração da quarta quinzena dos Direitos humanos iniciou hoje.

A comemoração da quarta quinzena dos Direitos humanos iniciou hoje.

A casa dos direitos e organizações a ela associadas celebram a quarta edição da quinzena dos direitos humanos, no âmbito da comemoração do dia internacional dos direitos humanos que se celebra anualmente 01 de Dezembro.

O ato da celebração teve lugar hoje (01.12.2018) nas instalações da casa dos direitos em Bissau, que contou com a presença dos membros do governo, as organizações das sociedade civil e das organizações internacionais incluindo das Nações Unidas

Presidindo a cerimónia da abertura, o presidente da comissão especializada dos assuntos constitucionais da Assembleia Nacional Popular em representação do Presidente da ANP Cipriano Cassama, Higino Cardoso, disse na ocasião que para manter a declaração universal dos direitos dos homens e crianças no país é necessário dispensar uma atenção especial no desenvolvimento do ensino e da educação e promover as medidas progressivas da ordem nacionais e internacionais.

“Como é do conhecimento geral as Nações Unidas o septuagésimo aniversário da declaração universal dos Direitos do Homem, que foi adotada pela Assembleia-geral das Nações Unidas a 10 de dezembro de 1948 como um padrão comum de realização para todos os povos e todas as nações. Com efeito DUDH trata-se de um documento que apela a todos os indivíduos e as organizações sociais a manter a declaração constantemente em mente, dispensando uma atenção especial pelo desenvolvimento do ensino e da educação, assim como promover medidas progressivas de ordem nacional e internacional, o seu reconhecimento e a sua aplicação universal.

Não é segredo para ninguém, que a situação dos direitos humanos no nosso país não é famosa, pois estamos constantemente a ser confrontados com situações de atentados aos direitos humanos de forma gravosa, sem que medidas corretivas sejam adequadamente aplicadas”, frisou Higino Cardoso.

A quinzena dos direitos humanos é uma expressão de uma abordagem aos direitos humanos, em todas as dimensões, assente na capacidade de iniciativa, de inovação e criatividade, reunindo múltiplos parceiros em base de igualdade de aproveitamento de sinergias.

Na mesma ocasião a responsável da casa dos direitos, Filomena Ferreira, disse que a celebração da data é um sinal positivo para refletir sobre a situação dos direitos humanos no país.

“Para assinalar o dia internacional dos Direitos Humanos na Guiné-Bissau, considero ser um sinal positivo criar sinergias para refletir sobre situações dos Direitos Humanos no país, a nossa quarta quinzena dos direitos que hoje iniciamos neste espaço, que antes foi uma prisão principalmente de presos políticos e que hoje é um espaço de cidadania e da liberdade aberto ao diálogo, a concertação e a partilha de informação entre diversos atores da nossa sociedade”, referiu Filomena Ferreira.

Durante 15 dias da celebração a casa dos direitos irá desencadear uma serias de atividades em Bissau e nas regiões incluindo debates, formações, ateliês artísticos, exposição fotográficas, sessões de cinemas, uma feira de livro com o apoio do instituto Camões da cooperação e da língua e do centro cultural português, festival de músicas e danças com apoio das Nações Unidas e União Europeia e ainda o premio jornalismo e direitos humanos.

 

 

 

 

Partilhar esta notícia...
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Share on Google+
Google+
Email this to someone
email

Deixe uma resposta

Close Menu