Inicio

| WWW.RADIOJOVEM.INFO | 102.8MHZ | 24/24 & 7/7 |

  • Inicio
  • Notícias
  • BAD FINANCIA PROJETO DE PRODUÇÃO DE ARROZ NA GUINÉ-BISSAU

BAD FINANCIA PROJETO DE PRODUÇÃO DE ARROZ NA GUINÉ-BISSAU

5 Dezembro 2017 Notícias





O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e o Governo da Guiné-Bissau assinaram hoje um acordo de financiamento de 5,7 milhões de euros para desenvolver o Projeto de Desenvolvimento da Cadeia de Valor de Arroz.

Assinatura do projeto, que já tinha sido aprovado em janeiro deste ano, ocorreu durante a reunião para a revisão anual conjunta do Programa de Cooperação entre a Guiné-Bissau e aquela instituição financeira.

“O BAD vai continuar a apoiar o desenvolvimento” do país, afirmou a diretora regional adjunta daquela instituição financeira, Marie Laure Olugbabe.

Segundo a responsável, as prioridades do BAD na Guiné-Bissau são em primeiro lugar a eletricidade e em segundo lugar a agricultura.

“Há mais de 40 anos que beneficiamos do importante do apoio do BAD que tem um impacto importante na vida dos guineenses”, disse o ministro das Finanças, João Fadiá, sublinhando que o apoio é visível nos setores da energia, pescas, educação e assistência jurídica, que permitiu um perdão de dívida à Guiné-Bissau.

O Projeto de Desenvolvimento da Cadeia de Valor de Arroz tem como objetivo modernizar as infraestruturas agrícolas e desenvolver a produção de arroz e vai beneficiar cerca de 60.000 famílias rurais das regiões de Bafatá e de Oio.

No encontro, a responsável do BAD anunciou também que a instituição financeira vai voltar a colocar um representante na Guiné-Bissau, depois de ter sido retirado em 2011.

Uma missão do BAD iniciou segunda-feira contactos com as autoridades para a revisão conjunta da cooperação com o país.

A última revisão anual conjunta realizou-se em setembro de 2016.

Desde o início da cooperação entre a Guiné-Bissau e aquela instituição financeira, em 1976, já foram aprovadas 56 operações num montante de cerca de 200 mil milhões de francos cfa (cerca de 304 milhões de euros).

Fonte: Lusa





Partilhar

Deixa um comentário

O seu endereço de email não vai ser publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *